Escritos de Dom Helder Câmara serão enviados ao Vaticano nesta quinta-feira

 (Foto: Aluisio Moreira/SEI)

O governador Paulo Câmara recebeu, na manhã desta quarta-feira (25.02), no Palácio do Campo das Princesas, o arcebispo de Olinda e Recife, dom Fernando Saburido, para falar sobre o processo de canonização de Dom Helder Câmara. O Governo de Pernambuco tem participado do processo desde a preparação do acervo até a viabilização do envio. Os documentos requisitados pelo Vaticano para dar continuidade ao procedimento serão enviados nesta quinta-feira (25.05) à Roma, na Itália.

O Instituto Dom Hélder Câmara (IDHeC) levou cerca de três anos para elaborar toda a documentação e preparar o acervo, que foi digitalizado e impresso pela Companhia Editora de Pernambuco (Cepe). Os documentos contemplam textos e programas de rádio escritos pelo arcebispo emérito de Olinda e Recife. Todo o material que será enviado está acrescido de uma cópia, correspondendo um volume de 500 quilos.

A secretária de Turismo e Lazer de Pernambuco, Milu Megale, reiterou que o envio dos documentos é um grande passo na concretização do desejo comum de ver o Bispo dos Pobres canonizado. “Estamos muito gratos à companhia aérea TAP pelo apoio no transporte de todo este riquíssimo acervo literário produzido por Dom Helder”, observou.

“Todos nós temos interesse pela causa de Dom Helder, para que, de fato, possamos o quanto antes ter a felicidade de vê-lo reconhecido como santo da igreja”, enfatizou dom Fernando Saburido.

Também participaram da reunião o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Tomé Franca, e o Monsenhor Luciano Brito, que levará pessoalmente os documentos ao Vaticano.

TRAJETÓRIA – Dom Helder Pessoa Câmara nasceu na cidade de Fortaleza, capital do Ceará, em 7 de fevereiro de 1909, e morreu no Recife em 27 de agosto de 1999, aos 90 anos. Foi um dos fundadores da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), atuou como arcebispo de Olinda e Recife de 1964 até 1985 e é conhecido internacionalmente pela defesa dos direitos humanos durante a ditadura militar no Brasil.

Ministério Público de Roraima abre investigação sobre contratação de Gusttavo Lima por R$ 800 mil

Gusttavo Lima é alvo de calote milionário. Saiba quanto o sertanejo perdeu

O MPRR (Ministério Público do Estado de Roraima) abriu investigação sobre a contratação do cantor Gusttavo Lima na cidade de São Luiz (RR), com cachê fixado em R$ 800 mil.

A população do município é estimada em 8.232 pessoas segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Dividindo o cachê acordado pelo número de moradores de São Luiz, cada cidadão estaria pagando cerca de R$ 97 pelo show.

“A Promotoria da Comarca expediu ofício para o Município de São Luiz, solicitando informações a respeito da contratação do show, de como os recursos foram arrecadados e também se haverá retorno para a municipalidade. O MPRR aguarda a resposta do Município para, então, adotar as medidas necessárias”, disse o MPRR em nota.

O contrato para a apresentação de Gusttavo Lima foi firmado em 25 de março e tem vigência até 31 de dezembro. A informação foi publicada na sessão de editais do “FolhaBV”, jornal de Boa Vista, capital do estado.

Lula e Bolsonaro param e saída de Doria tem efeito inicial nulo

Ipec: Lula só não vence Bolsonaro entre os evangélicos no Rio | Eleições  2022 | O Globo

Pesquisa PoderData realizada de domingo de manhã até 3ª feira no início da noite (22-24.mai.2022) indica estabilidade no cenário sucessório. O ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) foi mantido no estudo porque só desistiu de concorrer por volta do meio-dia de 2ª feira (23.mai). Mas isso já foi suficiente para o tucano cair para 1% nas intenções de voto (ele pontuava de 2% a 4% em levantamentos anteriores). O efeito foi pequeno.

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pontuou 43%, e o presidente Jair Bolsonaro (PL), 35%. Estão nesse patamar há mais de 1 mês, estáveis, com variações mínimas e dentro da margem de erro. A senadora Simone Tebet (MDB-MS) marcou 2%. Ou seja, o anúncio da saída de Doria da disputa drenou os votos do tucano, mas neste 1º momento não foram herdados pela candidata agora quase predileta da chamada 3ª via.

Chegada de bolsonaristas ao PL causa atritos na Câmara dos Deputados

Tiririca desiste de se candidatar neste ano, depois de PL ter entregado nº  de urna a Eduardo Bolsonaro: 'Me sinto traído' | Eleições 2022 em São Paulo  | G1

A chegada dos bolsonaristas ao PL tem causado conflitos na Câmara. Os que são egressos do antigo PSL, acostumados com a estrutura de um partido que elegeu 52 deputados, precisam agora se adaptar a outro que elegeu 33 e abriga atualmente 77. As informações são da Folha de São Paulo.

As comissões temáticas têm apresentado os principais pontos de atrito. Bolsonaristas reclamam que, antes, tinham à disposição um assessor de regimento e outro de mérito para cada um dos colegiados. No PL, é apenas um auxiliar para cada comissão.

Além disso, são apenas 38 vagas em comissões, número insuficiente para abrigar todos. Ainda houve briga porque duas cadeiras na Comissão de Direitos Humanos foram cedidas para a a oposição, após ninguém manifestar interesse. Quando foram reclamar, o acordo já havia sido firmado com PT e PSOL.

Nos bastidores, os deputados se preocupam também com a distribuição dos recursos do fundo eleitoral para suas campanhas. A expectativa é que o PL tenha cerca de R$ 280 milhões para arcar a campanha do presidente Jair Bolsonaro e dos demais candidatos.

Exemplo desse atrito é o deputado Tiririca (PL-SP), histórico puxador de votos do partido. Nas últimas eleições, chegou a ameaçar não concorrer, mas acabou convencido pela legenda, que contava com seus votos para fazer uma grande bancada.

Agora, o PL cedeu o seu número na urna para Eduardo Bolsonaro (PL-SP), e o deputado-palhaço afirmou ao jornal O Globo que se sentiu desrespeitado e não deve concorrer.

A cúpula do PL aposta que Tirirca voltará atrás, como fez em 2018. Longe dos palcos há muitos anos, acreditam que ele teria dificuldade de encontrar outra fonte de renda caso desista de ser deputado.

TRE Pernambuco condena vereador do Recife por propaganda antecipada

Fachada Prédio Sede em 620x300 pixels (para matérias)

O pleno do Tribunal Regional de Pernambuco (TRE-PE) condenou, nesta segunda-feira (23/5), por unanimidade, o vereador do Recife Aderaldo Pinto por propaganda eleitoral antecipada, em razão da fixação de banner assemelhado a outdoor no Centro Social Aderaldo Pinto (CESAP), entidade localizada no bairro do Prado, que presta serviços de saúde à comunidade e que tem o vereador como principal apoiador. Na peça consta a mensagem “#2022 vem aí”, logo abaixo do seu nome e da sua foto – ele se apresenta como pré-candidato a deputado estadual. A decisão do pleno confirmou a liminar concedida pela relatora, a desembargadora eleitoral Mariana Vargas, que havia determinado a retirada do banner do local, e aplicou uma multa de R$ 5 mil ao vereador. Cabe recurso para o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A representação contra Aderaldo Pinto foi movida pela Ministério Público Eleitoral. No curso do processo, o vereador negou irregularidades. Mas a relatora da ação não acolheu os argumentos. “O artefato de publicidade colacionado à inicial exibe ostensivamente nome e fotografia do representado, acompanhados pela mensagem em formato de hashtag ´#2022 vem aí´. Note-se que, conforme matérias jornalísticas e postagem do próprio demandado em rede social (Facebook), é notória sua pré-candidatura para as Eleições de 2022, diferentemente do que pretende fazer crer o representado em sua defesa, quando afirma não existir até o momento ‘nenhuma sinalização positiva ou negativa acerca desta possibilidade (candidatura a Deputado Estadual)’”, escreveu a desembargadora Mariana Vargas.

O TRE enquadrou o caso no art. 39, § 8º, da Lei nº 9.504/97 (Lei das Eleições), que veda a propaganda eleitoral mediante outdoor. A proibição foi reproduzida no art. 26 da Resolução TSE nº 23.610/2019, que dispõe sobre propaganda eleitoral, ao prever se sujeitar à mesma vedação “a utilização de engenhos ou de equipamentos publicitários, ou, ainda, de conjunto de peças de propaganda, justapostas ou não, que se assemelhem ou causem efeito visual de outdoor”. O valor da multa está prevista no art. 36, § 3º, da Lei das Eleições.

Fim de uma era: Nova York desliga sua última cabine de telefone público

 (Foto: REPRODUÇÃO TWITTER/@LINKNYC
)

A cidade de Nova York desconectou nesta segunda-feira (23) sua última cabine de telefone público de moedas, as famosas “payphone booth”, que têm sido substituídas durante anos por terminais de Wi-Fi gratuitos.

Contudo, os fãs do Superman podem ficar tranquilos: Manhattan conservará quatro cabines telefônicas fechadas, nas quais o jornalista Clark Kent entra para se “transformar” em super-herói.

Nesta segunda pela manhã, Nova York pôs fim a um mito que sobreviveu na cultura popular durante décadas em quadrinhos, fotos, cinema e televisão.

Diante dos jornalistas, as autoridades municipais e o presidente (equivalente a subprefeito) do bairro de Manhattan, Mark Levine, testemunharam a desmontagem, e a remoção em cima de um caminhão, da última “booth” (cabine) com dois telefones, que, durante anos, ficou situada na esquina da 7ª Avenida com a Rua 50, no centro da Big Apple, marcada pelo símbolo da campainha azul da empresa de telecomunicações Bell System.

Os telefones públicos começaram a desaparecer da paisagem nova-iorquina no início dos anos 2000, na medida em que os telefones celulares se popularizavam, e se acelerou a partir de 2010 com a explosão dos telefones celulares inteligentes, os “smartphones”.

Governo Federal anuncia nova troca na presidência da Petrobras

Governo anuncia nova troca na presidência da Petrobras

O Ministério de Minas e Energia publicou uma nota, na noite desta segunda-feira, 23, anunciando uma nova troca na presidência da Petrobras e a demissão de mais um presidente da estatal, José Mauro Ferreira Coelho, que foi dispensado após 40 dias no cargo. O novo nome indicado para assumir o cargo é Caio Mário Paes de Andrade, secretário especial de desburocratização do Ministério da Economia.

José Mauro foi o terceiro presidente da Petrobras no governo de Bolsonaro. Os dois anteriores, que também foram demitidos, são Roberto Castello Branco e Joaquim Silva e Luna.

Governo reduz em 10% imposto de importação de arroz, feijão e outros produtos

Arroz branco

O Ministério da Economia anunciou nesta segunda-feira, 23, uma nova redução de 10% de alíquotas do Imposto de Importação. Segundo a pasta, a medida reduz os tributos de bens como feijão, carne, massas, biscoitos, arroz, materiais de construção e tem validade até 31 de dezembro de 2023.

“A medida abrange 6.195 códigos da Nomenclatura Comum do Mercosul para reduzir impactos decorrentes da pandemia e do conflito na Ucrânia sobre o custo de vida da população e preços de insumos do setor produtivo”, informou o Ministério da Economia, em nota.

Primeira Câmara do TCE julga processos de admissão de pessoal de Brejão e Iguaracy

A Primeira Câmara julgou, em sessão realizada na última terça-feira (17), processos de admissão de pessoal dos municípios de Brejão e Iguaracy, todos de relatoria do conselheiro substituto Carlos Pimentel.

Em relação ao município de Brejão (processo n° 2055935-5), foram julgadas legais 13 nomeações, das 14 oriundas de concurso público realizado em 2019. Uma das nomeações, para a vaga de motorista, ocorreu mesmo sem a existência do cargo. Neste sentido, o relator recomendou à atual gestão que encaminhe projeto de lei visando à criação do cargo, hipótese na qual poderá resultar na convalidação do ato, para que se evite o afastamento de servidor aprovado em concurso público.

No que diz respeito ao processo de Iguaracy (n° 2159965-8), o relator analisou 216 contratações temporárias realizadas no exercício financeiro de 2021. Entendendo que os atos aconteceram em um momento agudo da pandemia de Covid-19, quando as regras concernentes ao setor público foram flexibilizadas a fim de manter os serviços essenciais prestados pelos municípios, o conselheiro julgou legais 205 contratações.

Oito contratações foram julgadas ilegais devido à existência de candidatos aprovados em seleção pública simplificada, ainda válida, aptos à admissão para as vagas. Outras três contratações foram também julgadas ilegais por ocorrerem para funções de direção, chefia e assessoramento, vagas voltadas tipicamente para cargo comissionado.

Senador Randolfe pede que TCU apure compra de caminhões de lixo pelo governo

Caminhão de lixo que foi entregue pelo governo federal para a cidade de Pontalina (GO) - WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) protocolou hoje duas representações junto ao TCU (Tribunal de Contas da União) e à PGR (Procuradoria-Geral da República) pedindo a abertura de investigações sobre a compra de caminhões de lixo pelo governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) com indícios de superfaturamento.

As representações foram encaminhadas pelo parlamentar após reportagem do jornal O Estado de São Paulo identificar pagamentos inflados pelos veículos, chegando a uma quantia de R$ 109 milhões. Segundo a reportagem, a compra e a distribuição de caminhões para pequenas cidades saltaram de 85 para 488 veículos de 2019 para 2021 e, até agora, o governo já destinou R$ 381 milhões para essa finalidade.

Em alguns casos, algumas cidades que receberam os veículos passarem a ter menos lixo do que caminhões para recolhê-lo, enquanto em outros houve a diferença de R$ 114 mil no preço de veículos iguais, comprados no espaço de apenas um mês. Nas redes sociais, o caso foi apelidado de “Bolsolão do lixo”.

Nas representações protocoladas por Randolfe, o parlamentar pede apuração com a “finalidade de apurar a existência desses gastos ilegais e inconstitucionais”, o que, para ele, são “mais um exemplo da corrupção instalada” no governo federal. “É falta de transparência e dano ao orçamento público”, diz o senador.

A distribuição de caminhões compactadores de lixo é usada por senadores, deputados e prefeitos para ganhar a simpatia e o voto dos eleitores de cidadezinhas pobres, onde a chegada desse tipo de auxílio é visível e faz enorme diferença.

Doria desiste de candidatura à Presidência

João Doria desiste da pré-candidatura à Presidência; veja a íntegra do  discurso | Eleições 2022 | G1

O ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) anunciou hoje que não será candidato à Presidência neste ano após a pressão de seu partido para que desistisse de sua campanha. A cúpula tucana praticamente chegou a um consenso sobre o apoio à candidatura da senadora Simone Tebet (MDB).

“Serenamente entendo que não sou a escolha da cúpula do PSDB”, disse João Doria, ex-governador de São Paulo.

Em seu discurso, de cerca de dez minutos, o tucano disse aceitar “a realidade com a cabeça erguida”.

“Sou um homem que respeita o bom senso, o diálogo e o equilíbrio. Sempre busquei e seguirei buscando o consenso, mesmo que ele seja contrário a minha vontade pessoal. O PSDB saberá tomar a melhor decisão no seu posicionamento para as eleições deste ano”, afirmou.

“Me retiro da disputa com o coração ferido, mas com a alma leve, com a sensação de dever cumprido e missão bem realizada”, disse Doria.

O ex-governador afirmou que o país precisa de uma alternativa para atender aos eleitores que não querem os extremos. “Que não querem aquele que foi envolvido em escândalos de corrupção. E nem aquele que não deu conta de salvar vidas, não deu conta de salvar a economia e que envergonha nosso país em todo o mundo”, disse ele, em referência ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e ao presidente Jair Bolsonaro (PL), os mais bem colocados nas pesquisas de intenção de voto.

Doria discursou com uma bandeira do Brasil ao fundo, foi aplaudido pelos presentes e se emocionou ao fim da fala. O tucano estava acompanhado de aliados, da esposa, Bia Doria, e do presidente da legenda, Bruno Araújo, com quem se desentendeu recentemente.

“Há algo maior que a vontade de João Doria ou algo maior que minha vontade, a vontade agora é coletiva. A vontade é o que o Brasil precisa, o Brasil não precisa de mais divisão interna no nosso campo”, disse Araújo.

Teresa Leitão dá as primeiras bordoadas em Marília Arraes durante evento em Sertânia, sem citar nome. ‘Vazia e enganadora’

Marcus Mendes/Divulgação

Em discurso na cidade de Sertânia, ao lado do governador Paulo Câmara e do candidato do PSB ao governo do Estado, a candidata ao Senado da Frente Popular, Teresa Leitão, do PT, fez as primeiras críticas públicas à pré-candidata do Solidariedade, Marília Arraes, ex-PT. Sempre com o cuidado de não lhe citar o nome, embora as referências fossem explícitas, para quem acompanha os discursos desta fase inicial da campanha. As informações são do blog do Jamildo.

Na primeira delas, Teresa disse achar que Marília Arraes não deve crescer mais nas pesquisas. “Tem gente que está na vitrine há muito tempo, mas já bateu no teto. Nós (Frente Popular) mal começamos a campanha, nós começamos agora e começamos bem. Vamos ter plenárias para falar de programa de governo, não para falar de coisas vazias, enganação, eleição só de foto”, afirmou.

Na semana passada, sem ir ao casamento de Lula, em São Paulo, o marketing de Marília Arraes publicou nas redes sociais uma foto dela grávida da segunda filha, ao lado de Lula e a nova esposa.

“Vai ser muita gente querendo enganar o povo, usando fotos de arquivo, dizendo que Lula é seu. Voto, carinho e reza a gente não nega, mas Lula já disse na entrevista (à Rádio Jornal) e vai dizer aqui no Estado, de novo, que é Danilo Cabral e Teresa Leitão. Ele vai dizer que se fosse eleitor em Pernambuco iria votar em Danilo Cabral e Teresa Leitão”, afirmou, depois sendo ainda mais objetiva.

“A lei eleitoral pode até permitir botar o nome de Lula (caso do Solidariedade, com Lula) mas o Lula de carne e osso, de proposta, de projeto, de opção política, esse Lula da consciência política está do nosso lado. Ele mesmo me disse, tenha paciência, eu construi esse palanque e quero o PT lá, ao lado do PSB, para que Pernambuco se reencontre com o Brasil”, disse, pedindo sebo nas canelas na campanha.

Mapeamento da Caatinga indica metade do bioma desmatado e centenas de espécies em risco

Pesquisadores brasileiros das universidades federais do Rio Grande do Norte, do ABC (UFABC) e da USP (Universidade de São Paulo) se uniram em um trabalho para mapear a caatinga, bioma exclusivamente brasileiro que já conta com 13% de sua área em estado de desertificação, segundo associação.

O estudo das “Áreas Prioritárias de Restauração da Caatinga” foi realizado entre 2014 e 2021 e publicado no início de março deste ano na revista científica Journal of Applied Ecology.

A falta de políticas públicas eficientes e as mudanças climáticas aceleram a degradação do bioma, que pode ver mais de uma centena de espécies ameaçadas de extinção sumirem do mapa em curto espaço de tempo.

“A proposta de fazer o mapeamento das áreas prioritárias de restauração da caatinga surgiu quando coordenei o exercício para definir as áreas de conservação, junto ao Ministério do Meio Ambiente. Sentimos essa necessidade de definir também as áreas prioritárias de restauração”, diz Carlos Roberto Fonseca, professor associado do Departamento de Ecologia da UFRN e coautor do estudo.

De acordo com o professor, para definir as áreas prioritárias de atenção o bioma foi dividido em cerca de 10 mil microbacias, classificando-as em três critérios: o valor de cada uma dessas microbacias para conservação da biodiversidade de plantas ameaçadas, a quantidade de cobertura vegetal em cada uma dessas microbacias e a importância de cada uma delas para a conectividade da paisagem.

Segundo o levantamento, 939 das bacias da caatinga são consideradas de alta prioridade para restauração. E 86 foram consideradas de prioridade máxima para restauração.

Deputado de SP diz que que vai colocar cabresto na boca de parlamentar negra

Wellington Moura é alvo de processo na Alesp

Uma sessão da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) teve bate-boca entre o deputado Wellington Moura (Republicanos) e Mônica Seixas (PSOL). O parlamentar disse que iria colocar um “cabresto da boca” da colega.

“Vou colocar um cabresto na sua boca”, afirmou Moura. Seixas respondeu :”Você não vai calar minha boca”, e ele respondeu :”Vou sim”.

De acordo com informações da GloboNews, o caso aconteceu na última quarta-feira, 18. A deputada do PSOL entrou com um pedido de cassação de mandato de Moura no Conselho de Ética da Alesp.

“Houve ofensa à dignidade e decoro da Deputada Monica Seixas em sua forma mais vil e cruel que é utilizando uma ferramenta que pessoas negras escravizadas eram submetidas para que se calassem e servissem ao escravocrata”, informa o pedido.

Em nota, o parlamentar do Republicanos se defendeu: “Quando me referi a deputada Mônica Seixas, me utilizei da palavra cabresto no contexto de dizer: algo que controla, contendo então as palavras dela na qual se utilizava para se manifestar ao deputado Douglas Garcia em um momento em que ela não poderia se manifestar (por questões regimentais)”.

Divulgado o resultado do concurso para o Censo 2022, do IBGE

 (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

O resultado do processo seletivo simplificado (PSS) do Censo Demográfico 2022, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), foi divulgado hoje (20) pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), empresa organizadora do concurso.

Os candidatos para as vagas de recenseador, agente censitário municipal (ACM) e agente censitário supervisor (ACS) devem consultar o resultado no site da FGV.

De acordo com o IBGE, nos casos de empate na nota final foi respeitada a área de trabalho, o município e o estado escolhido, sendo o primeiro critério de desempate, em obediência ao Estatuto do Idoso, garantindo a vaga para quem tem idade igual ou superior a 60 anos completos até o último dia de inscrição. O segundo critério foi a nota na disciplina Conhecimentos Técnicos, seguida da nota em Língua Portuguesa e em Ética no Serviço Público. Todos os critérios de desempate constam do edital do processo seletivo.

Convocação

Divulgado o resultado final, a próxima etapa será a de convocação e depois os aprovados serão chamados pelo IBGE para realizar treinamento.

De acordo com o órgão, mais de 621 mil pessoas concorreram às vagas distribuídas em 5.297 municípios do país, que se dividem em 206.891 servidores temporários para o Censo, dos quais 183.021 recenseadores, com treinamento previsto para 18 a 22 de julho; 18.420 para ACS e 5.450 para ACM, ambos com treinamento previsto de 6 a 15 de junho.

“Os demais candidatos aprovados serão mantidos em lista de espera, podendo ser chamados posteriormente, de acordo com o edital. O treinamento para recenseadores terá caráter eliminatório e classificatório e será realizado pelo IBGE em duas etapas: autoinstrução e presencial”, informou o IBGE.