Maioria da bancada de Pernambuco vota para proibir a saidinha de presos

Deputados e senadores aprovam o fim da saída temporária de presos em  feriados

A oposição atropelou o governo e manteve a proibição de que presos bem comportados deixem o presídio, cinco vezes por ano, em datas especiais, como queria o presidente Lula da Silva (PT). A proposta do governo é que em 1º de janeiro, no Dia das Mães, no Dia dos Pais, no Dia das Crianças e no Natal os presos pudessem sair para visitar a família.

O deputado Chico Alencar (Psol-RJ) chamou de “irracional” a proposta da oposição de impedir a saidinha de presos bem comportados. “[A saidinha] é uma oportunidade para evitar o recrudescimento da convivência dentro dos presídios”, disse.

Contra a saidinha de presos o Pastor Eurico (PL) disse que “prisão é privação de liberdade. Se você quer liberdade que não cometa delito”, afirmou.

Mesmo com o veto à saidinha, a lei já determinava que estão impedidos de receber o benefício da saída temporário presos por assassinato, estupro, latrocínio, tráfico de drogas, roubo à mão armada, pedofilia e crimes hediondos.

Poderão receber autorização de saída presidiários bem comportados e que estejam matriculados em cursos técnicos, no ensino médio ou em cursos superiores.

MAIORIA DA BANCADA FOI CONTRA
Na Câmara dos Deputados
Contra a saidinha:
André Ferreira (PL)
Augusto Coutinho (Republicanos)
Clarissa Tércio (PP)
Coronel Meira (PL)
Eduardo da Fonte (PP)
Fernando Coelho Filho (União Brasil)
Fernando Rodolfo (PL)
Lucas Ramos (PSB)
Mendonça Filho (União Brasil)
Pastor Eurico (PL)

A favor da saidinha:
Carlos Veras (PT)
Clodoaldo Magalhães (PV)
Felipe Carreras (PSB)
Maria Arraes (Solidariedade)
Pedro Campos (PSB)
Renildo Calheiros (PCdoB)
Túlio Gadelha (Rede)
Waldemar Oliveira (Avante)

Não votaram:
Eriberto Medeiros (PSB)
Lula da Fonte (PP)
Iza Arruda (MDB)
Fernando Monteiro (PP)
Guilherme Uchoa (PSB
Luciano Bivar (União Brasil)
Ossesio Silva (Republicanos)

No Senado Federal, senador Fernando Dueire (MDB) votou contra a saidinha. Teresa Leitão (PT) e Humberto Costa (PT) não votaram.