Furto de energia elétrica bate recorde em 2023 e supera produção de Belo Monte

Um furto de energia elétrica é registrado a cada 12 horas na polícia do Rio  - Jornal O Globo

O volume de energia elétrica furtada no Brasil bateu recorde no ano passado e ultrapassou a geração da hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, a segunda maior do país.

Os “gatos”, como são conhecidas as chamadas “perdas não técnicas”, superaram a geração física média da usina localizada no Rio Xingu: enquanto Belo Monte produz 4.418 MW médios, a energia furtada ao longo de 2023 somou 4.655 MW médios.

Ou seja, se fossem uma usina de produção de energia elétrica, os “gatos” seriam a segunda maior do Brasil. No comparativo, essa “usina gato” também representa 60% do fornecimento da Itaipu para o mercado brasileiro.

Os dados são de um levantamento da Abradee (Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica), feito com base em informações da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica).