‘Rapariga, vai tomar no c*’: funcionária denuncia secretário de saúde em Pernambuco

técnica em enfermagem Mayara Andrade denunciou o secretário de saúde de Amaraj (PE) por um ataques misóginos via aplicativo de mensagens - Arquivo pessoalA técnica em enfermagem Mayara Andrade, 25, denunciou o secretário de saúde de Amaraji, em Pernambuco, por ataques misóginos via aplicativo de mensagens. Em áudio vazado que circula nos grupos de profissionais da área e atribuído ao secretário José Roberto Nascimento, a vítima é ofendida com palavras de baixo calão e se comemora a demissão dela — Mayara foi afastada das funções após um episódio em que vacinas foram perdidas devido a uma queda de energia. O Coren-PE (Conselho Regional de Enfermagem de Pernambuco) repudiou os comentários e pediu a exoneração de Nascimento.

Mayara contou que foi responsabilizada pelo problema com as vacinas e que isso gerou uma reclamação da prefeita do município, Aline Gouveia (PSB). Segundo a técnica em enfermagem, que foi contratada no início da gestão atual, em 2021, ela foi repreendida por Gouveia em público, na frente de outros funcionários, o que lhe causou constrangimento.

“Foi uma postura desnecessária. Perguntei se havia acabado, dei tchau e fui embora porque não gostei do constrangimento. Poderia ter me chamado em particular. Ela não gostou da forma como falei, se ofendeu. Depois disso, o secretário falou comigo e me aconselhou a me retratar, e isso aconteceu”, explicou.

A funcionária conta que foi afastada das funções logo em seguida, e que o secretário ficou responsável por conversar com a prefeita sobre o episódio. “Aparentemente, estava tudo resolvido e ele [secretário] me pediu para que eu ficasse em casa. Disse que assim que tivesse um posicionamento da prefeita, entraria em contato comigo. Ele conversou com ela, mas não me procurou. Eu não fui demitida oficialmente. No último fim de semana, fui surpreendida com esse áudio que começou a circular nos grupos”, disse.

De acordo com Mayara, a voz no áudio é do secretário José Roberto Nascimento. A gravação mostra uma voz masculina comentando o desentendimento de Mayara com a prefeita e argumentando que o afastamento foi correto. Ao longo do áudio, no entanto, o homem usa xingamentos e termos misóginos para ofender a funcionária.