Governo anuncia corte de impostos para carros populares; veja outras medidas

Alckmin, Lula e Haddad em Brasília

O governo federal anunciou nesta quinta-feira, 25, um programa de estímulo à indústria automotiva com o objetivo de ampliar o acesso a carros populares, conhecidos como “de entrada”, e impulsionar a cadeia produtiva ligada ao setor automotivo brasileiro.

As ações foram divulgadas pelo vice-presidente da República, Geraldo Alckmin, após uma reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ministro Fernando Haddad (Fazenda) e representantes do setor automobilístico.

Uma das principais medidas relacionadas à indústria automotiva consiste em um desconto de IPI, PIS e Cofins para veículos com valor de até R$ 120 mil. Não foram anunciadas alterações para veículos de valor superior.

Os valores específicos não foram revelados, mas de acordo com Alckmin, “quanto menor for o veículo e mais acessível, maior será o desconto”.

“A proposta de estímulo é transitória, anticíclica, para esse momento de muita ociosidade na indústria. […] Hoje, o carro mais barato é quase R$ 70 mil”, declarou o vice-presidente.

Além do preço final do veículo, o desconto também será maior para carros com baixa emissão de poluentes e que possuam um maior número de componentes produzidos no Brasil.

O Ministério da Fazenda terá um prazo de 15 dias para ajustar a decisão de acordo com as normas fiscais, o que inclui calcular a perda de arrecadação e determinar as medidas de compensação no orçamento.