Lia de Itamaracá se recusa a se apresentar nos palcos do Governo no Carnaval 2020

Resultado de imagem para lia de itamaracá

Aos 76 anos de idade recém-celebrados com um show em São Paulo, a cirandeira Lia de Itamaracá comemora os convites e contratos assinados para shows pelo Brasil em 2020, a exemplo do carnaval. E apesar de estar circulando o País com o seu novo show, Ciranda Sem Fim, a artista decidiu se recusar a cantar nos palcos do Governo de Pernambuco no Carnaval 2020. O motivo? A Fundarpe não aceitou o reajuste no cachê da pernambucana, que é Patrimônio Vivo do Estado, no valor de R$ 7 mil.

Segundo informações da assessoria e o empresário de Lia, o cachê da cirandeira, no valor de R$ 18 mil, não sofre reajustes há seis anos. Em 2018, inclusive, ela também não se apresentou pelo Estado por falta de pagamento. A artista também lamenta ter que se recusar a cantar nos palcos do Governo de Pernambuco durante a folia, mas afirma que essa é uma maneira de protestar para que a Fundarpe valorize os artistas da terra.

“A festa é para misturar todas as culturas. Não tenho nada contra os artistas de fora, mas os cantores da cultura popular também precisam ser valorizados e ter dignidade para trabalhar”, explicou a cantora. Lia também lembra que a Prefeitura de Itamaracá não contratou qualquer show da artista para o carnaval na cidade em 2020.

O reajuste no cachê de Lia de Itamaracá é necessário devido às demandas de seu novo espetáculo, que adicionou novos músicos e tem a presença do DJ Dolores. “Apesar do valor não ser alto, a Fundarpe não fez o reajuste e ficou inviável para a gente trabalhar dessa forma. Agora, com o show Ciranda Sem Fim, a banda cresceu e temos a participação de outros músicos, como o DJ Dolores, por exemplo. Não dá para permanecer recebendo a mesma coisa”, desabafa Beto Hees, empresário da artista.

Mesmo com este entrave com o Governo do Estado, Lia segue confirmada para shows no Recife em contratos com a prefeitura da capital durante a folia de momo.