Caso Itaíba: fazendeiro nega que planejou fuga, mas polícia o indicia por morte de PM

Resultado de imagem para fazendeiro de itaiba chega ao recife

Condenado pelo assassinato do promotor de Itaíba, Thiago Faria, o fazendeiro José Maria Pedro Rosendo Barbosa será indiciado por outra morte: a do sargento Rinaldo Azevedo, que fazia a fiscalização da Penitenciária Barreto Campelo e foi baleado no momento em que o fazendeiro e outros seis detentos fugiam de lá, em fevereiro de 2019. Em depoimento à Polícia Civil, nesta quarta-feira (31), José Maria nega que tenha planejado o fato e que só fugiu por ter visto a oportunidade acontecer.

O depoimento foi colhido pela manhã, na sede do Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri), em Afogados, Zona Oeste do Recife. Segundo o delegado Adyr Almeida, ele “deu causa” à morte do sargento. “Ele tá sendo indiciado por homicídio com dolo direto. Como participou da fuga, deu causa a esse crime”, explica Adyr. Além de homicídio, ele também será indiciado por fuga e formação de quadrilha.

Sobre a fuga em si, José Maria nega que tenha participado do planejamento. “Ele contou a versão dele. Disse que viu cinco homens armados, com armas longas no dia, viu oportunidade (de fugir) e correu junto”, acrescenta o delegado, que não pode detalhar mais sobre o depoimento por questão de sigilo.

O fazendeiro foi encaminhado na tarde desta quarta para o Centro de Triagem (Cotel), em Abreu e Lima, Grande Recife. Ele deve ficar preso por lá até chegar a ordem de transferência dele para um presídio federal, fora de Pernambuco.