Papangu assassino: militar do Exército vestiu fantasia para matar dono de posto no carnaval de Olinda

Vstido de papangu, militar do Exército executou dono de posto  (Foto: Arquivo)

A Polícia Civil de Pernambuco (PCPE) detalhou, em coletiva de imprensa na manhã desta terça-feira (18), toda a dinâmica adotada por um grupo de traficantes para matar o empresário Rafael Gonçalves Lima, 34 anos, dono do posto de combustíveis durante o carnaval de Olinda deste ano.

O caso ficou conhecido como “papangu assassino”. É que o homem que efetuou cinco tiros na vítima vestiu essa fantasia típica da folia pernambucana.

Segundo a polícia, o matador era um militar do Exército, cooptado pela quadrilha.

De acordo com o delegado que presidiu as investigações, Francisco Océlio, o crime foi encomendado por um grupo de nove traficantes da favela V8, no Varadouro, em Olinda.

O investigador afirmou que os traficantes se sentiam ameaçados pela vítima, uma vez que ela oferecia o estabelecimento como ponto de apoio a várias equipes das Polícias Civil e Militar.

Ainda segundo o delegado, o assassino, no dia do crime, esteve quatro vezes no estabelecimento para poder identificar a vítima e estudar o local para se evadir após o crime.