Secretária de Administração da Paraíba é presa na Operação Calvário

Livânia havia sido alvo de busca e apreensão na última quinta-feira (14) / Foto: Reprodução/Governo da Paraíba

A secretária de administração da Paraíba, Livânia Farias, foi presa neste sábado (16) no âmbito da Operação Calvário, que mira suposto esquemas de fraudes que envolve R$ 1,1 bilhão em contratos da Saúde. Ela havia sido alvo de busca e apreensão na última quinta-feira (14). Também foi decretada a prisão do dirigente da Cruz Vermelha, sede do Rio Grande do Sul, Daniel Gomes.

De acordo com o desembargador Ricardo Vital de Almeida, do Tribunal de Justiça da Paraíba, que autorizou a prisão de Livânia e Daniel, caso soltos, eles podem obstruir as investigações. O magistrado também mandou bloquear um imóvel e uma BMW, bens atribuídos a Livânia.

“A necessidade da segregação por conveniência da instrução criminal, a mais visível entre as razões da prisão preventiva do ponto de vista da instrumentalidade, decorre, na espécie, da necessidade de assegurar a realidade da prova processual em relação aos requeridos Livânia Maria e Daniel Gomes, que podem, acaso permaneçam em liberdade, influenciar na produção de elementos, obstaculizando-os ou impedindo-os, fazendo desaparecer indicadores dos crimes que a eles são imputados, apagando vestígios, subornando, ameaçando testemunhas, entre outros fatos”, escreveu.

Governadores se reúnem em MG e declaram apoio à reforma da Previdência

Encontro ocorreu neste sábado / Divulgação

Governadores dos Estados das regiões Sul e Sudeste se reuniram na tarde deste sábado em Belo Horizonte e declararam apoio a reforma da previdência de Jair Bolsonaro. “Todos os Estados, incluindo o Espírito Santo, com algumas ressalvas do governador do Estado, Renato Casagrande, todos os demais apoiando a reforma da Previdência no País, compreendendo a sua importância estratégica na dimensão econômica e social para mudar o Brasil”, afirmou o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), em vídeo postado após o encontro. Além do apoio à reforma, os governadores anunciaram a criação do Consórcio de Integração Sul e Sudeste (Cosud).

Sobre as ressalvas do governador do Espírito Santos à reforma da Previdência mencionadas por Doria, Renato Casagrande (PSB) declarou após a reunião ser favorável à reforma, mas afirmou que tem pontos das medidas que alteram o sistema previdenciário brasileiro que gostaria de discutir mais, como as mudanças na aposentadoria rural, nos benefícios de prestação continuada (chamados de LOAS/BPC) e na criação do regime de capitalização.

Já o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), declarou que os governadores reunidos hoje na capital mineira “apoiam incondicionalmente o presidente Bolsonaro nessa missão de reformar a previdência”. A reunião com os governadores durou uma hora e, segundo postagens dos representantes de cada Estado nas redes sociais, foi discutido, além da reforma da Previdência, temas como a lei anticorrupção, segurança nas fronteiras interestaduais e desburocratização. O único governador que não compareceu foi o do Paraná, Ratinho Júnior (PSD), por conta de uma incompatibilidade de agenda.

Erradicada plantação de maconha no Sertão pernambucano

Foram incinerados oito mil pés de maconha além de 7,6kg da erva pronta para consumo. Foto: Polícia Militar / Divulgação

Policiais militares da 7ª e da 2ª CIPM erradicaram uma plantação de maconha, no início da manhã da sexta-feira (15), na zona rural de Santa Maria da Boa Vista, no Sertão pernambucano. Ao chegar ao local do cultivo ilegal – realizado às margens do canal de irrigação que corta o Projeto Fulgêncio – o efetivo foi recebido a tiros e revidou a ação. Os acusados aproveitaram a confusão para entrar na caatinga e fugir. Após a fuga, foram localizados, na região, um total de oito mil pés de maconha além de 7,6kg da erva pronta para consumo.

Todo o material foi incinerado no local, exceto uma amostra entregue na Delegacia de Polícia Civil de Santa Maria da Boa Vista, para que fossem tomadas as medidas cabíveis e dada sequência à investigação.

Reforma não pode cair mais uma vez nas costas dos mais frágeis, disse dom Egidio durante audiência pública

Dom Egidio Bisol e o padre Gilvam Bezerra estiveram presentes durante a audiência pública Foto: Junior Finfa

Durante a audiência pública que aconteceu nesta sexta (15) em Afogados da Ingazeira para debater sobre os impactos da Reforma da Previdência, o bispo diocesano dom Egidio Bisol esteve participando e disse que a reforma não pode cair mais uma vez nas costas dos mais frágeis.

Dom Egidio, em entrevista ao comunicador Celso Brandão da Rádio Pajeú, afirmou que os trabalhadores e todos que estavam presentes naquele momento não eram contra a Reforma da Previdência, mas, eram contra essa reforma que está sendo anunciada pelo atual governo em que prejudicará os trabalhadores. “Realmente eu acho que o pessoal que está aqui não é contra a Reforma da Previdência, mas é contra esta Reforma da Previdência, que talvez eu não sou um técnico, mas que talvez precise de alguma reforma, agora que a reforma não possa cair mais uma vez nas costas dos mais frágeis. Os trabalhadores rurais que estão aqui, hoje, e o número é muito grande, graças a Deus, tá querendo dizer a todo mundo e também para os nossos governantes que a vida é mais importante que o dinheiro e, que esse tipo de reforma que está sendo apresentado, se continuar e for aprovado desse jeito vai significar não vida, e sim morte para muitas pessoas. Por isso também a nossa diocese está se solidarizando com esse movimento para poder juntar as forças e ver se isso consegue mudar os pensamentos daqueles que tem em primeiro lugar o dinheiro, o capital, e que deixa a vida de muitas pessoas em segundo lugar” disse o bispo.

Perícia: disparos que mataram família de Serra Talhada, no Ceará, saíram de fuzis

Perícia: disparos que mataram família pernambucana no Ceará saíram de fuzis

O relatório final sobre a investigação das mortes de seis reféns e oito assaltantes de banco, no município de Milagres, tragédia ocorrida no Ceará em 7 de dezembro do ano passado, deverá apontar que houve um erro de comando dos policiais militares que estavam à frente da operação. A incursão de 12 PMs no dia da tentativa de assalto contra as agências do Bradesco e Banco do Brasil foi coordenada por um major e um coronel do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate). Os nomes dos policiais não foram divulgados porque o indiciamento ainda não foi divulgado pelo grupo especial de delegados da Polícia Civil que investiga os homicídios.

De acordo com informações levantadas, o erro de comando teria sido uma das causas que resultou nas 14 mortes. Por último, perto de finalizar a fase de inquérito policial, haveria uma debate entre os delegados sobre o tipo penal para o indiciamento dos PMs.

Em relação aos reféns abatidos, haveria duas possibilidades de enquadramento jurídico. A primeira é que os acusados da matança dos seis inocentes teriam praticado os homicídios por terem agido com dolo eventual. No caso, os policiais não queriam que o resultado da ação fosse a morte da vítimas. Porém, assumiram o risco da execução de quem não tinha nada a ver com a tentativa de assalto no Cariri cearense.

Foram mortos por tiro de fuzis da PM, de acordo com o laudo de balística da Polícia Forense do Ceará (Pefoce), a família de reféns pernambucanos, de Serra Talhada, João Batista Campos Magalhães, 49, Vinícius de Souza Magalhães, 14, Claudineide Campos de Souza Santos, 41, Cícero Tenório dos Santos, 60, e Gustavo Tenório dos Santos, 13. Além da cearense Francisca Edneide da Cruz Santos, 49, e mais oitos assaltantes.

No debate sobre a análise do material colhido durante a investigação sobre a carnificina, haveria delegados que discordam do dolo eventual. A outra linha possível de indiciamento, segundo apuração da imprensa do Ceará, se fundamentaria no excesso doloso nos limites de eventual e/ou suposta legítima defesa de terceiros, descartando o dolo eventual.

O que seria o excesso doloso contra as pessoas feitas de reféns em Milagres? Uma fonte ouvida lança mão do que ensina o jurista Damásio Evangelista de Jesus para explicar. É quando o indivíduo que pratica o crime “conscientemente” vai além do necessário para cessar a agressão. Utilizando imoderadamente dos meios de que dispõe.

No caso da ação policial em Milagres, o emprego da força, supostamente, teria sido maior do que a necessária já que existiam reféns entre os criminosos. Além disso, os PMs estavam com armas mais potentes (fuzis e pistolas contra revólveres e espingardas). E, ao constatar a presença de reféns, poderiam ter deixado a quadrilha fugir para não ferir ou matar as seis pessoas que não estavam armadas nem portavam capuzes a exemplo de assaltantes.

O suposto excesso de dolo na ação policial em Milagres, esclarece a fonte, excluiria a possibilidade da legítima defesa. Segundo o jurista Julio Fabbrini Mirabete, no livro Código Penal Interpretado, “exigindo a lei o uso dos meios necessários e a moderação, não se configura a legítima defesa se houver excesso doloso ou culposo”. Descaracteriza-se a legítima defesa quando a lesão ao bem jurídico do agressor é desproporcional ou desnecessária à defesa do beneficiário”.

Em tese, pois ainda está sendo discutido como serão indiciados os PMs, a ação policial, por mais bem intencionada que tenha sido, foi desfavorável à vida dos seis reféns. Para um oficial da própria PM, ouvido pelo O POVO, houve um erro na reavaliação do cenário encontrado no local. Segundo o militar, havia uma frequência de assaltos a banco no Ceará sem a presença de reféns. Em Milagres esse padrão foi quebrado.

Dos 12 policiais que atuaram na operação, dois – um sargento e um cabo – eram atiradores de elite (snipers), e estavam na posse de fuzis AR-10. Os outros dez militares também portavam fuzis de calibre 5.56. Todos também portavam pistolas 9 mm. Em dezembro do ano passado, após parecer da comissão que investiga o caso, oito PMs voltaram às atividades de rua. Segundo informações daquela época, eles não teriam se envolvido diretamente no tiroteio.

Pernambuco: Delegada da extinta Decasp é convidada para equipe de Sérgio Moro

Resultado de imagem para delegada da decasp pe

Quatro meses após o fim da Delegacia de Crimes contra a Administração e Serviços Públicos (Decasp), a delegada especial Patrícia Domingos recebeu um convite para atuar na equipe do ministro Sérgio Moro. Reconhecida pelo trabalho de combate à corrupção em Pernambuco, Patrícia deve atuar na Secretaria Nacional de Segurança Pública, em Brasília.

“Já aceitei o convite para atuar na diretoria de Políticas Públicas de Segurança. Estou muito feliz. Agora estou aguardando a liberação do Governo de Pernambuco”, afirmou a delegada. A resposta precisa ser dada nos próximos dias, já que a ideia é que Patrícia comece a atuar no Governo Bolsonaro a partir de 1º de abril.

Atualmente, Patrícia Domingos atua no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). A turbulenta transferência dela aconteceu em meio à extinção da Decasp – imposta pelo Governo do Estado, por meio de projeto de lei enviado à Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). A antiga Decasp foi substituída pelo Departamento de Repressão ao Crime Organizado (Draco).

Na época em que a Decasp foi extinta, setores da imprensa revelaram com que a especializada estava investigando sete deputados estaduais pelo crime de desvios de verba pública. Do total, seis votaram a favor do fim da delegacia que combatia a corrupção no Estado.

Sport estará de volta à Copa do Nordeste em 2020

Resultado de imagem para copa do nordeste

Após dois anos sem disputar a competição, o Sport está oficialmente de volta à Copa do Nordeste. A confirmação veio através de ofício da CBF, que confirmou a presença do Leão na edição de 2020. A última participação do Rubro-negro no Regional aconteceu em 2017, quando acabou com o vice-campeonato, perdendo para o Bahia na decisão. As negociações já vinham acontecendo desde que a atual gestão assumiu e a volta foi garantida pelo mandatário do clube.

“A importância dessa volta é que o Sport é o maior time do Norte/Nordeste. E ficar fora de uma Bahia, Ceará. E como a gente vai ficar fora de uma competição dessa? Não faz sentido a gente ficar fora e isso acarreta um prejuízo financeiro muito grande. Fora o problema de iniciar o ano com uma competição só, sem ter onde jogar”, comentou o presidente do Sport, Milton Bivar.

Em 2019, a Copa do Nordeste passou por mudanças em seu regulamento e formato de disputa. Questão bastante pedida pelos clubes participantes.

O Retorno era posto como uma das prioridades da gestão de Bivar. Desde sua campanha, um dos pontos chaves seria o retorno ao torneio, um dos principais do calendário brasileiro no primeiro semestre. Anteriormente, o diretor de futebol Wanderson Lacerda já havia comentado que tinha sido um “equívoco muito grande” a saída. O principal argumento do ex-presidente Arnaldo Barros era de que a Copa do Nordeste não era rentável para o clube e que inchava o calendário leonino. Nisso, o Rubro-negro ficou fora da disputa em 2018 e em 2019.

Neste ano, aconteceu justamente o inverso disso. Com o descenso para a Série B, saída do Nordestão e queda precoce na Copa do Brasil, o calendário do Sport ficou muito espaçado. No período de um mês, entre o dia 13 de fevereiro e 13 de março, data do último jogo do Leão, a equipe realizou apenas quatro jogos oficiais. Porém, o agravante foi a distância entre os jogos contra Afogados e Salgueiro, de 13 dias. Ao todo, são nove jogos no ano, com seis vitórias e três derrotas.

TCE julga ilegal contratações das prefeituras de Inajá e Jupi

A Primeira Câmara do TCE julgou, na quinta-feira (14), pela ilegalidade das contratações temporárias de pessoal realizadas pelas prefeituras de Inajá e Jupi, no exercício financeiro de 2017, tendo como interessados os prefeitos, Adilson Timoteo Cavalcante e Antônio Marcos Patriota, respectivamente. O relator dos processos foi o conselheiro substituto Ricardo Rios.

Em relação a Inajá (Processo n° 1851546-0) foram analisadas 512 contratações temporárias, já em Jupi (Processo n° 1851652-0) foram 747, para cargos como auxiliar administrativo, profissionais de saúde e de educação, entre outros. Em ambos os casos foram encontradas irregularidades, como a ausência de documentação essencial à legalidade das admissões e que comprovem o excepcional interesse público para existência das contratações temporárias, além da extrapolação do limite de despesa com pessoal. Em relação a Jupi ainda foi apontada a acumulação de cargos de forma ilegal.

Além de votar pela ilegalidade e, consequentemente, negar registro dos respectivos contratos dos servidores, o relator aplicou uma multa para cada um dos responsáveis no valor de R$ 8.240,00. Também foram realizadas algumas determinações com o objetivo de que se realize o levantamento da necessidade de pessoal para execução dos serviços ordinariamente oferecidos pelas Prefeituras.

O voto foi aprovado por unanimidade, mas ainda cabem recursos por parte dos interessados. Representou o Ministério Público de Contas, a procuradora Eliana Lapenda Guerra.

Decisão do STF deve levar inquérito de Betinho Gomes para a Justiça Eleitoral

Segundo delatores da Odebrecht, o ex-parlamentar Betinho Gomes teria recebido repasses nas campanhas de 2012 e 2014. A defesa nega. (Foto: Agência Câmara / Divulgação)

A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de que processos da Lava-Jato sobre corrupção ligados à prática de caixa dois devem ser enviados para a Justiça Eleitoral provavelmente afetará inquérito do ex-deputado Betinho Gomes (PSDB-PE).

Betinho foi delatado por executivos da Obebrecht. Segundo delatores, o ex-parlamentar teria recebido repasses nas campanhas de 2012, quando foi candidato (derrotado) a vereador do Recife, e 2014, em campanha vitoriosa para deputado federal. De acordo com membros da construtora, os valores teriam como moeda de troca supostas ajudas de Betinho Gomes em projetos voltados para Pernambuco.

Em maio de 2018, o relator do caso, ministro Ricardo Lewandowski, encaminhou o caso para a Justiça Federal de Pernambuco. Após isso, a defesa de Betinho Gomes recorreu pedindo o arquivamento ou, alternativamente, o envio para a primeira instância da Justiça Eleitoral de Pernambuco.

O caso começou a ser analisado virtualmente pela Segunda Turma do STF, mas não houve decisão ainda. Fazem parte do colegiado, além do relator Ricardo Lewandowski, os ministros Edson Fachin, Carmen Lúcia, Gilmar Mendes e Celso de Mello. Dos cinco magistrados da Turma, na sessão desta quarta (13) e quinta-feira (14), apenas Fachin e Carmen votaram contra o envio de casos de caixa dois para a Justiça Eleitoral.

Betinho Gomes disputou a reeleição para deputado federal nas eleições de 2018. Ele obteve 20.026 votos, insuficientes para ser reconzudido à Câmara Federal.

Após ataque em escola de Suzano, deputados discutem assunto em Pernambuco

Resultado de imagem para ataque em escola de suzano sp

Um dia depois do ataque à Escola Estadual Raul Brazil, em Suzano (SP), deputados pernambucanos discutiram o tema na Assembleia Legislativa de Pernambuco. No estado, a entrada de terceiros, sem identificação, em unidades de ensino das redes públicas e privadas é proibida, de acordo com a lei estadual 14.6017, de 2012. A lei “dispõe sobre a proibição da entrada e circulação de pessoas alheias ao âmbito escolar, nas instituições de ensino, sem o acompanhamento de funcionário e identificação, e dá outras providências”.

De acordo com o texto, um cartaz deve ser afixado de forma destacada, em local visível ao público, preferencialmente na recepção da instituição, medindo 297×420 mm (Folha A3), com caracteres em negrito, nas instituições de ensino de Pernambuco. “As escolas ficam obrigadas, no ato da matrícula ou sua renovação, a registrarem previamente uma relação com os nomes das pessoas autorizadas a ingressarem no estabelecimento de ensino, além dos próprios pais ou responsáveis legais, com a finalidade de tratarem de assuntos de interesse do aluno matriculado.”

Chuvas fortes devem atingir Pernambuco nesta quinta e na sexta-feira, diz Inmet

Imagem relacionada

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta de chuvas fortes para Pernambuco nesta quinta-feira (14). Segundo o órgão, o alerta serve para boa parte da região Nordeste. De acordo com informações no site da instituição, há risco de cair um acumulado de chuvas em uma área que abrange todo o Estado, além de toda a Paraíba, Ceará, Rio Grande do Norte, Piauí, Alagoas, Sergipe e o norte da Bahia.

O risco é de queda de um volume de 20mm a 30mm de chuvas por hora, podendo chegar a 50 mm por dia. Para o Sertão de Pernambuco, a previsão é de chuvas fortes e isoladas, com incidências de trovoadas. As temperaturas devem variar, em média, de 19º C a 36º C. Leia o alerta do Inmet na íntegra.

Existem condições meteorológicas favoráveis à ocorrência de acumulado de chuva (perigo potencial), chuva entre 20 a 30 mm/h ou até 50mm/dia, podendo acompanhar descargas elétricas e rajadas de vento em áreas isoladas do Estado, no período de 11:00h do dia 14/03/2019 às 18:00h do dia 15/03/2019.

Apac – A Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) não emitiu alerta de chuvas fortes, mas também prevê chuvas isoladas de intensidade fraca para todo o Estado. Para a Região Metropolitana do Recife, a agência fala em pancadas de chuva de intensidade fraca a moderada. As temperaturas devem variar entre 22º C e 31º C nesta quinta e 22º C e 32º na próxima sexta-feira (15).

Para a Mata Norte, também estão previstas chuvas fracas a moderadas, com temperaturas variando entre 23º C e 31º C hoje e 23º e 32º amanhã. A Mata Sul deverá ter o mesmo regime de chuvas, mínima de 22º C e máxima de 31º C nesta quinta e variação de 22º C e 33º C para a sexta-feira.

O Agreste também deve ter chuvas de intensidade fraca a moderada de forma isolada, com temperaturas entre 20º C e 33º C para hoje e amanhã. O Sertão tem previsão da mesma chuva, com mínima de 20º C e máxima de 35º C para esta quinta e 20º C e 36º C para a próxima sexta.

A região do Sertão do São Francisco terá chuvas de intensidade fraca a moderada, com temperaturas entre 20º e 35º C para hoje e amanhã. O arquipélago de Fernando de Noronha também deve registrar chuvas fracas, com mínima de 25º e máxima de 28º nesta quinta-feira e variação de 26º C a 29º C na próxima sexta.

TCE suspende compra de fardamento pelo governo Paulo Câmara

Imagem relacionadaA conselheira Teresa Duere, do Tribunal de Contas do Estado (TCE), determinou nesta quinta-feira (14), em medida cautelar, a anulação da compra de 972 mil camisas para fardamento, feita pela Secretaria de Educação de Pernambuco através de dispensa de licitação. Duere apontou que o processo deve ser retomado a partir do aviso de licitação “para garantir ampla competição”. O custo total foi de R$ 8,6 milhões.

Para a conselheira, houve um longo período entre o início do processo, em junho do ano passado, até a publicação do aviso de licitação, em 11 de dezembro, e a fase de disputas, no fim do ano. “Não se pode conceber que um objeto regular e simples demore mais de seis meses entre a demanda do objeto até que a licitação seja iniciada. Naturalmente, leva a situações do tipo que estamos aqui constatando”, afirmou na decisão.

Ao conceder a medida cautelar, Duere concordou com o argumento do procurador do Ministério Público de Contas Cristiano Pimentel, que pediu no último dia 7, a suspensão da dispensa de licitação. Ele alegou que o fato de a fase de disputa ter acontecido entre 27 de dezembro e 9 de janeiro “restringiu a competitividade”.

Na sua decisão, a conselheira afirmou que houve “restrição indevida de competitividade pelas datas escolhidas para apresentação das propostas, período impróprio para uma licitação transcorrer com competitividade plena, o que levou a lotes da licitação desertos e à abertura de Dispensa Licitatória no corrente ano”.

O pedido de Pimentel aconteceu depois que a compra do fardamento foi alvo de denúncia da deputada estadual Priscila Krause (DEM), que faz oposição ao governador Paulo Câmara (PSB). A parlamentar reclamou ao Tribunal de Contas que o custo total da compra, de R$ 8,6 milhões, está R$ 2,11 milhões acima do valor anteriormente aceito pela gestão.

Rogério Leão pede recuperação de rodovias em São José do Belmonte

Resultado de imagem para rogerio leao alepe

A recuperação das rodovias PE-430 e PE-435, que dão acesso a São José do Belmonte, foi solicitada pelo deputado Rogério Leão (PR), no Pequeno Expediente da Reunião Plenária desta quinta (14). Segundo o parlamentar, a má conservação dessas estradas tem provocado acidentes e danos a veículos que trafegam pela área.

“As duas estão com muitos buracos e, até mesmo, crateras nos acostamentos”, apontou Leão. Ressaltou também a importância dessas vias não só para São José do Belmonte, mas para a região: a PE-430 liga a BR-232 ao Estado de Ceará, e a PE-435 faz a conexão do município ao distrito do Carmo (onde fica a Pedra do Reino) e à divisa com a Paraíba. As rodovias estão sob a responsabilidade do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-PE), vinculado à Secretaria de Infraestrutura e Recursos Hídricos de Pernambuco.

O parlamentar pediu urgência para que seja providenciado o conserto, pois, no próximo 19 de março, será comemorado o dia de São José, padroeiro da cidade. “O evento atrai muitos visitantes para a região. Se não for possível fazer uma requalificação, que ao menos haja uma operação tapa-buraco”, sugeriu.

Atentado em Suzano reacende na Câmara discussão sobre desarmamento

Cerimônia Pelo Brasil e contra a Corrupção

O atentado ocorrido na manhã desta quarta-feira (13) em uma escola em Suzano, região metropolitana de São Paulo, reacendeu na Câmara a discussão sobre o desarmamento no Brasil.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, disse que espera que não comecem a dizer que se os professores estivessem armados, a tragédia teria sido evitada. “Segurança é dever do Estado e não do cidadão”, enfatizou.

Mais cedo o senador Major Olímpio (PSL-SP) deu declaração nesse sentido. Em plenário, o deputado Paulão (PT-AL) lamentou o pronunciamento feito pelo senador. Para o deputado, a declaração é insana e estimula o discurso de ódio.

Já o deputado capitão Wagner (Pros-CE) chamou atenção para a responsabilidade dos parlamentares em relação a projetos que liberem o uso indiscriminado de armas para a população. “Nós temos que ter pré-requisitos estabelecidos e rigorosos para as pessoas poderem portar arma de fogo. Não dá para fazer populismo com um tema tão importante. A gente sabe que grande parte da população brasileira quer ter uma arma na cintura, mas a responsabilidade para ter uma arma na cintura é muito grande”, ponderou.

Para o deputado Coronel Tadeu (PSL-SP), o fato ocorrido na escola estadual Professor Raul Brasil é lamentável. Ele defende que o País repense o sistema de segurança pública atual. Para ele, faltam medidas efetivas de segurança pública e o Legislativo tem parcela de culpa nessa situação.

O deputado Nilto Tatto (PT-SP) relacionou o episódio à cultura da violência e à liberação indiscriminada de armas no País e questionou os parlamentares que defendem o porte de armas como solução para a violência.

Um adolescente e um jovem encapuzados invadiram uma escola de ensino médio em Suzano e mataram cinco alunos, duas funcionárias e o proprietário de uma loja próxima, que era tio de um dos assassinos. Os dois atiradores, que eram ex-alunos da escola, se mataram após o ataque.

Não precisamos de mais armas, diz ex-presidente Lula, em mensagem sobre massacre

Resultado de imagem para ex presidente lula

Em mensagem enviada da prisão, em Curitiba, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva transmitiu solidariedade aos alunos e trabalhadores da escola de Suzano (SP) alvo de um ataque nesta quarta-feira (13), e criticou aqueles que defendem o armamento da população.

“Que aqueles que incentivam a cultura do ódio e da violência entendam que não precisamos de mais armas para que massacres com o de Suzano não se tornem cotidianos em nosso país. O Brasil precisa de paz”, diz o texto de Lula publicado por sua assessoria.