Descaso: 30% das delegacias em Pernambuco não têm delegados titulares

TV JORNAL/REPRODUÇÃO

Enquanto os números de roubos e furtos crescem em Pernambuco – pelo terceiro mês consecutivo – e a sensação de insegurança também aumenta, a falta de efetivo policial para investigar os crimes fica cada vez mais notória. Levantamento exclusivo obtido pela coluna Ronda JC, com base em dados da Lei de Acesso à Informação (LAI), revela que 30% das delegacias do Estado não têm com delegados titulares. O problema maior está nos municípios do interior.

Ao todo, segundo a Secretaria de Defesa Social (SDS), há 217 delegacias circunscricionais no Estado. Destas, 65 não tem delegados titulares. Por causa disso, profissionais de outras unidades policiais – a maioria de cidades diferentes – precisam se deslocar durante a semana, num verdadeiro rodízio, e acumular investigações dessas delegacias que estão sem titulares. “Tem delegado respondendo por até seis delegacias”, revelou o presidente da Associação dos Delegados de Polícia de Pernambuco (Adeppe), Francisco Rodrigues.

Na lista de municípios sem delegados titulares aparecem Itapissuma, Araçoiaba, Aliança, Vicência, Lagoa de Itaenga, Lagoa do Carro, Ferreiros, Camutanga, Escada, Glória do Goitá, Primavera, Chã de Alegria, Água Preta, Quipapá, Rio Formoso, Joaquim Nabuco, Xexéu, Jaqueira, Belém de Maria, Agrestina, Lagoa dos Gatos, Sairé, Belo Jardim, São Caetano, Cachoeirinha, Poção, Passira, Frei Miguelinho, Jataúba, Vertentes, entre outros.

O QUE DIZ A SDS
Em nota oficial, a assessoria da SDS informou que, em 2022, 122 novos delegados, formados na Academia de Polícia Civil, serão incorporados às delegacias do Estado, reforçando as investigações e os serviços de polícia judiciária. “Desses, 60 alunos, neste momento em formação, já começam a trabalhar no primeiro trimestre do ano que vem.”

A SDS disse ainda reconhecer o acúmulo de titularidade por parte dos delegados. “Mas que todos os esforços são feitos para que as unidades mantenham a regularidade do atendimento”, disse.