Veja a lista com os deputados pernambucanos que mais gastaram cota parlamentar na Câmara Federal; Gonzaga Patriota no topo da lista

O arquivo implacável do Congresso Nacional | VEJA

Nas listas de despesas da Câmara Federal dois pernambucanos chamam atenção. Impressiona a diferença entre o mais gastador e o mais econômico com o dinheiro público.

Felipe Carreras (PSB), em 2020, gastou R$ 2,2 mil.

Já Gonzaga Patriota (PSB) gastou R$ 426 mil.

Entre as despesas de Felipe Carreras, o que menos gastou, estão contas de telefone no valor de R$ 1,74. Isso contando um mês inteiro de uso.

Já no relatório de Gonzaga Patriota, o que mais gastou, constam despesas de mais de R$ 65 mil com “divulgação da atividade parlamentar”. Em um só mês.

Os deputados que mais gastaram a cota parlamentar, em 2020:

Gonzaga Patriota (PSB), R$ 426 mil;

Sebastião Oliveira (Avante), R$ 380 mil;

Bispo Ossesio (Republicanos), R$ 359 mil;

Fernando Rodolfo (PL), R$ 351 mil;

Túlio Gadêlha (PDT), R$ 331 mil.

Os deputados que menos gastaram a cota parlamentar foram:

Felipe Carreras (PSB), R$ 2,2 mil;

Pastor Eurico (Patriota), R$ 77 mil;

Luciano Bivar (PSL), R$ 82 mil;

Danilo Cabral (PSB), R$ 97 mil;

Fernando Filho (DEM), R$ 129 mil.

A cota parlamentar é uma cota única mensal destinada a custear os gastos dos deputados exclusivamente vinculados ao exercício da atividade parlamentar, segundo as regras da Câmara dos Deputados.

No site da Câmara está a definição do que pode ser incluído na cota: “Podem ser indenizadas despesas com passagens aéreas; telefonia; serviços postais; manutenção de escritórios de apoio à atividade parlamentar; assinatura de publicações; fornecimento de alimentação ao parlamentar; hospedagem; outras despesas com locomoção, contemplando locação ou fretamento de aeronaves, veículos automotores e embarcações, serviços de táxi, pedágio e estacionamento e passagens terrestres, marítimas ou fluviais; combustíveis e lubrificantes; serviços de segurança; contratação de consultorias e trabalhos técnicos; divulgação da atividade parlamentar, exceto nos 120 dias anteriores às eleições; participação do parlamentar em cursos, palestras, seminários, simpósios, congressos ou eventos congêneres; e a complementação do auxílio-moradia.”

Os deputados de Pernambuco têm direito a gastar até R$ 41.676,80, todo mês.

Deixe um comentário