PA: Ladrões roubam barco de padre, se arrependem e tiram religioso do rio

A cidade de São Sebastião da Boa Vista, no Pará - Reprodução/Câmara Municipal de São Sebastião da Boa VistaUm padre da paróquia de São Sebastião da Boa Vista, na ilha do Marajó, no Pará, foi assaltado quando viajava de barco para realizar uma missa em uma vila rural do município. Os bandidos roubaram a embarcação, pertences da vítima e mandaram que ela pulasse na água. Depois, se arrependeram e voltaram para salvá-la.

O caso aconteceu entre os municípios de São Sebastião da Boa Vista e Muaná, onde fica a vila Jararaca, no último sábado (7).

“O padre emprestou uma lancha e, ao se aproximar da localidade, foi abordado por outra embarcação em que estavam dois indivíduos, armados com arma de fogo tipo pistola. Eles anunciaram o assalto e mandaram o padre pular na água. Em seguida, empreenderam fuga em outra embarcação”, contou o delegado de Breves, Jorge David.

Em depoimento, o padre Mateus Tavares dos Santos contou a ação foi muito rápida e só conseguiu identificar que se tratava de um homem moreno e um branco. Os bandidos entraram na lancha e passaram a revistá-lo, subtraindo o celular do religioso, a quantia de R$ 500 e uma mochila do com todo o material da missa.

Os assaltantes retiraram até o colete salva-vidas do padre e ordenaram que pulasse na água antes de fugirem levando a embarcação. O pároco relatou para a polícia que permaneceu pelo menos 15 minutos na água e que, quando não conseguia mais resistir, começou a fazer uma oração.

Neste momento, segundo informou o delegado, Mateus notou que a embarcação estava retornando. Um dos assaltantes perguntou, segundo depoimento do padre. “Tu é padre mesmo?”.

Com a resposta positiva, ele deu a mão ao religioso. Ainda segundo o depoimento, uma pequena embarcação passava no local e um dos bandidos disse ao padre para segurar no veículo, pedindo ao piloto que conduzisse o religioso até a margem. Já na vila o padre foi socorrido pela comunidade.

O caso foi registrado na delegacia do município de Breves, no Marajó.