Empresário é preso em operação da PF contra supostas irregularidades no combate à covid-19 em Recife e Jaboatão

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Na manhã desta quarta-feira (16), a Polícia Federal em Pernambuco em conjunto com a Controladoria-Geral da União (CGU), Ministério Público Federal (MPF) e Ministério Público do Estado de Pernambuco (GAECO/PE), deflagrou a Operação “Desumano”. A investida tem o objetivo de apurar supostas irregularidades em Contratação de Organização Social de Saúde (OSS) no Recife e em Jaboatão dos Guararapes no combate ao novo coronavírus. As investigações iniciais identificaram fatores de risco em duas licitações que somam mais de R$ 57 milhões nos dois municípios.

Cerca de 80 policiais federais e 8 auditores da CGU, estão dando cumprimento a um Mandado de Prisão Temporária, 21 mandados de busca e apreensão sendo 16 no município de Recife, 3 em Jaboatão dos Guararapes, um em Olinda e um em Paulista. Foi autorizado o compartilhamento de todos os elementos com a Controladoria-Geral da União (CGU), com o Ministério Público Federal (MPF), com o Ministério Público do Estado de Pernambuco (GAECO), com o Tribunal de Contas do Estado de Pernambuco (TCE) e com a Polícia Civil de Pernambuco (DRACCO).

O empresário Paulo Magnus foi preso em operação da Polícia Federal na manhã desta quarta-feira (16).

A prisão é temporária, ou seja, tem duração de cinco dias, segundo o mandado.

Segundo apuração, Paulo Magnus é suspeito de ter criado uma organização social de fachada para operar o hospital de campanha da Imbiribeira, da prefeitura do Recife.

Deixe um comentário