Câmara reajusta em 70% salário do próximo prefeito do Recife

Foto: Peu Ricardo/DP

A Câmara de Vereadores do Recife aprovou, nesta quarta-feira (20), o aumento de salários para os cargos de prefeito do Recife, vice e dos secretários. Os reajustes seguem para a sanção do prefeito Geraldo Julio (PSB). Os novos valores salariais serão aplicados a partir de janeiro de 2021, quando começar o novo mandato no Executivo municipal.

Se Geraldo Julio confirmar a proposta do Legislativo, o sucessor dele terá o salário reajustado de R$ 14.635 para R$ 25 mil, um reajuste de 70%. O futuro vice prefeito do Recife ganhará R$ 22 mil, um aumento de 63% sobre os atuais R$ 13,9 mil. Segundo o Portal da Transparência do Recife, os atuais secretários ganham R$ 12,9 mil por mês. Mas os futuros integrantes do primeiro escalão municipal terão salário de R$ 18 mil.

No plenário da Câmara, foram 22 votos favoráveis aos reajustes: Aderaldo Pinto (PSB), Aerto Luna (PRP), Alcides Teixeira (PRTB), Almir Fernando (PCdoB), Amaro Maguari (PSB), Antônio Luiz Neto (PTB), Augusto Carreras (PSB), Benjamin da Saúde (PEN), Carlos Gueiros (PSB), Chico Kiko (PP), Eduardo Chera (PSC), Eduardo Marques (PSB), Gilberto Alves (PSD), Goretti Queiroz (PSC), Hélio Guabiraba (PRTB), Junior Bocão (PSDB), Ricardo Cruz (PPS), Romerinho Jatobá (PROS), Samuel Salazar (PRTB) e Wilton Brito (PP).

Apenas dois parlamentares foram contrários às propostas de aumentos salariais: Renato Antunes (PSC) e Rinaldo Júnior (PRB). Os vereadores André Régis (PSDB), Jairo Britto (PT) e João da Costa (PT) se abstiveram na votação.

Justificativas – O projeto de lei alega que são oito anos sem reajustes das quantias salariais do prefeito, vice e dos secretários. “Os atuais subsídios dos gestores municipais foram fixados em 2011 para vigorarem na legislatura 2012/2016 e, não obstante as correções verificadas nos índices inflacionários desses anos, bem como as mudanças ocorridas nos valores dos subsídios dos Deputados Federais e Estadual de Pernambuco no decorrer desse período (2011/2019), nenhuma alteração foi realizada nos valores dessas remunerações para a legislatura 2018/2020, tornando-se oportuna a correção proposta”, diz um trecho da proposta, assinada por Eduardo Marques (PSB), presidente da Casa.

“Dessa forma e considerando-se que quando da instalação da legislatura 2021/2025 já estarão decorridos 8 anos sem nenhum acréscimo nessa remuneração, é dever deste legislativo realizar uma correção no seus valores não somente observando percentual que reflita os índices inflacionários do período, mais e principalmente, os valores das remunerações dos diversos executivos das empresas privadas ensejando, dessa forma, ao administrador municipal, condições de oferecer remuneração compatível aos interesses de pessoas capazes e qualificadas para o auxiliarem na administração municipal”, destaca o texto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *