Casos de dengue crescem 53 vezes em parte do Sertão pernambucano

Imagem relacionada

Parte do sertão pernambucano está em surto epidêmico de dengue. Apesar de os casos da doença e da chikungunya terem diminuído em relação ao ano passado, em todo o estado, quando consideradas as estatísticas da área mais seca, a situação é diferente. Somente na região da sétima gerência regional de Saúde (Geres), que engloba sete municípios, dentre eles Salgueiro, foram notificados 480 casos suspeitos de dengue em 2019. O número significa um aumento de 53 vezes ou 5,200% em relação ao mesmo período de 2018. Em relação a chikungunya, o aumento foi de 800% de um ano para o outro.

A cidade de Salgueiro está em surto epidêmico, enquanto outras três – Angelim, Custódia e Verdejante – estão em situação de alerta para as arboviroses. De acordo com o Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), o salto nas notificações pode ter relação com o padrão das epidemias em anos anteriores, que não chegaram com força ao Sertão. Por isso, nessa região há mais pessoas suscetíveis à infecção.

Na região de Salgueiro, para se ter uma ideia, a quantidade de casos de dengue registrados em 2018 foi nove até a semana epidemiológica sete, ou seja, até o dia 16 de fevereiro.

Pernambuco neste ano notificou até agora seis óbitos, um a mais do que o mesmo período de 2018. Cinco envolvem pacientes do sexo masculino e um do sexo feminino. Em relação à idade, três casos foram no público abaixo de 15 anos e três na faixa etária de 30 a 59 anos. Os óbitos foram notificados nos municípios de Ipojuca (8 de janeiro, homem, 46 anos), Custódia (9 de fevereiro, homem, 39 anos), Camaragibe (1 de fevereiro, mulher, 59 anos), Jaboatão dos Guararapes (12 de fevereiro, menino, 8 anos), Arcoverde (13 de fevereiro, adolescente masculino, 15 anos) e São Benedito do Sul (13 de fevereiro, menino, 4 meses). Todos os casos estão em investigação.

Deixe um comentário