Seis cidades do Agreste aderem ao projeto Cidade Pacífica, do MPPE

Na manhã da última segunda-feira (28), representantes dos seis municípios que compõem a 6ª Circunscrição (Caruaru, Bezerros, Cupira, Ibirajuba, Cachoeirinha e Altinho) se reuniram com os promotores das comarcas na sede do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), em Caruaru, para assinar Termo de Cooperação Técnica para adesão ao Programa Cidade Pacífica, projeto institucional do MPPE que tem como objetivo promover ações concretas no combate à violência nos 184 municípios pernambucanos.

“É um projeto que está se espalhando por Pernambuco. Defendemos, nós do MPPE, os poderes Judiciário e Executivo, que a sociedade pode contribuir para a sua própria pacificação. Não há como resolver o problema da violência sem contar com a participação popular. O Cidade Pacífica busca soluções de acordo também com as particularidades locais apontadas pelos moradores”, comentou o procurador-geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros.

Segundo o promotor de Justiça e coordenador do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça da área Criminal (Caop Criminal), Luís Sávio Loureiro da Silveira, esta foi a primeira vez que uma Circunscrição aderiu de forma coletiva ao projeto. “Até então, estávamos fechando com os municípios de forma individual. Houve um engajamento da coordenação da 6ª Circunscrição, o que irá facilitar as cobranças e prazos das metas pactuadas”, destacou o promotor Luís Sávio.

Programa – Com o Cidade Pacífica, os governos municipais podem apresentar medidas distribuídas em nove eixos temáticos, são eles: Guarda municipal pacificadora; Segurança nos estabelecimentos comerciais/bancários; Esporte pacificador/Cultura/Lazer; Mesa municipal de segurança; Proteção integrada pacificando escolas; Empresas solidárias; Transporte pacificador; Iluminação pacificadora; e Pacificando Bares e similares (operação Bar Seguro). O município poderá aderir ao projeto através de convênio firmado com o MPPE, por intermédio da promotoria local, devendo implementar no mínimo sete desses eixos, de acordo com a sua realidade. E também passarão a integrar o ranking de pacificação elaborado pelo MPPE, a ser divulgado bimestralmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *