Grito da Terra conquista vitórias e promessas para trabalhadores rurais

Pela manhã, manifestantes se concentraram na frente da sede da Assembleia Legislativa de Pernambuco, no Centro do Recife (Foto: Ana Célia Floriano/ WhatsApp)

Após centenas de trabalhadores rurais realizarem um protesto em frente ao Palácio Campo das Princesas, sede do Governo de Pernambuco, na tarde desta segunda-feira, o governador Paulo Câmara recebeu uma comissão de representantes da categoria e se comprometeu a priorizar as questões agrárias. A mobilização fez parte do 6º Grito da Terra de Pernambuco, ação que visa ampliar o debate sobre as demandas referentes às necessidades dos homens e mulheres do campo nas áreas de saúde, educação, segurança e agricultura. Neste ano, a pauta foi unificada junto à Central Única dos Trabalhadores de Pernambuco (CUT-PE) e, além das questões agrárias e de combate à estiagem, o ato também foi contra a Reforma da Previdência, a Reforma Trabalhista e a aprovação do projeto que prevê a terceirização.

A comissão foi recebida pelo governador Paulo Câmara, pelo senador Humberto Costa e pelo secretariado do governo para discutir a pauta de reivindicações. Com bandeiras ruralistas, os trabalhadores da terra vestiram a Praça da República de verde, vermelho e branco solicitando ações emergenciais.

Durante o encontro, Paulo Câmara assinou dois decretos que vão consolidar a agroecologia e a agricultura familiar de Pernambuco e assegurou o fortalecimento do Programa Chapéu de Palha com o anúncio do envio, ainda nesta semana, à Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) o Projeto de Lei para reajustar em 10% o benefício.

Acompanharam o governador Paulo Câmara os secretários Antonio Figueira (Casa Civil), Márcio Stefanni (Planejamento e Gestão), Fred Amâncio (Educação); o secretário-executivo da Casa Civil, Marcelo Canuto; o presidente da Compesa, Roberto Tavares; e o senador Humberto Costa. Entre as entidades participantes do 6º Grito da Terra de Pernambuco estiveram FETAPE, CONTAG, FETAEPE,  STR, ASA, SERTA, MST, PJR, CPT, SABIÁ, Instituto Manoel Santos, Cáritas Brasileira NE2, CUT e COOPAGEL.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *