Dono de jato de Eduardo Campos fecha delação premiada

Resultado de imagem para cessna de eduardo campos

Apontado pela Polícia Federal como responsável por entregar propina de empreiteiras ao ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) - morto em um acidente de avião, em agosto de 2014 -, o empresário João Carlos Lyra Pessoa de Melo Filho, conhecido como João Lyra, assinou acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal (MPF) no âmbito da Operação Turbulência. Lyra se apresentou formalmente como o único comprador do avião que caiu em Santos (SP).

O acordo ainda precisa ser homologado pela Justiça e João Lyra deve prestar depoimento nas próximas semanas. Além dele, também optaram pela delação Eduardo Freire Bezerra Leite e Apolo Santana Vieira. Os três empresários pernambucanos foram alvo da Turbulência, responsável por investigar o arrendamento da aeronave Cessna Citation PR-AFA que caiu em Santos (SP) e vitimou o então candidato Eduardo Campos.

A reportagem apurou que além dos fatos envolvendo o avião, João Lyra negociou com os investigadores o detalhamento de todas as transações financeiras realizadas por seu grupo cujos valores são oriundos de superfaturamento de obras públicas e de esquemas envolvendo empreiteiras e o governo de Pernambuco.

Para chegar aos verdadeiros proprietários do jatinho, os investigadores identificaram empresas de fachada supostamente utilizadas para lavar e escoar dinheiro oriundo de obras públicas para campanhas políticas. Foram investigados repasses da Camargo Corrêa e da OAS que teriam origem em desvios praticados em obras da Petrobras em Pernambuco e na transposição do Rio de São Francisco. Parte das informações foi compartilhada com a força-tarefa da Operação Lava Jato.

Com novas regras do seguro-desemprego, mais de um milhão ficam sem o benefício

Resultado de imagem para seguro desemprego

As normas mais rigorosas do seguro-desemprego geraram uma economia de R$ 3,8 bilhões no ano passado, informou nesta segunda-feira, 23, o Ministério do Trabalho.

Segundo o órgão, em 2015 e 2016, 14,6 milhões de pessoas solicitaram o seguro-desemprego. Se estivessem em vigor as regras anteriores, o número seria de 15,7 milhões, segundo estimativas da Pasta. Ou seja, com a mudança nas exigências mais de um milhão de trabalhadores (1.135.444) ficaram sem o benefício.

Foram desembolsados R$ 70,4 bilhões nesses dois últimos anos. O gasto teria sido de R$ 74,3 bilhões caso não tivessem ocorrido as alterações.

Antes de 2015, uma pessoa demitida podia pedir o seguro-desemprego pela primeira vez se tivesse, pelo menos, seis meses de trabalho formal antes da demissão. Com a alteração, o tempo mínimo de trabalho subiu para 12 meses trabalhados no último ano e meio. Para o segundo pedido, são necessários nove meses de trabalho nos últimos 12 meses anteriores à dispensa. Nas demais solicitações, a carência é de seis meses de trabalho.

Somente em 2016, os pagamentos do seguro-desemprego totalizaram R$ 36,7 bilhões. De acordo com o ministério, 93,4% dos trabalhadores que pediram o benefício foram contemplados. O seguro foi pago a mais de 7 milhões de trabalhadores com carteira assinada, quase 138 mil empregados domésticos e 558 mil pescadores artesanais. Além disso, 740 pessoas retiradas de situação de trabalho forçado ou análoga à de escravo também tiveram direito ao benefício.

Igor Mariano cumpre agenda administrativa no Recife, digitalização do Cine São José na pauta

Resultado de imagem para igor marianoO Presidente do Poder Legislativo, Vereador Igor Mariano (PSD), terá uma agenda administrativa extensa durante esta semana na capital pernambucana. Nesta terça-feira (24) participa de seminário promovido pelo Tribunal de Contas do Estado para os novos Presidentes de Câmara de Vereadores.

Constam na programação várias palestras, que serão proferidas por técnicos do TCE, sobre o dia a dia das Câmaras de Vereadores, sendo um dos objetivos do Tribunal, segundo o presidente Carlos Porto, “propiciar uma maior aproximação, interação e mútua colaboração com os gestores legislativos municipais”.

Na quarta-feira (25), o Presidente cumpre agenda administrativa no Auditório do Teatro do Brum – Centro de Convenções, em Olinda. Onde participa de das palestras com os seguintes temas: Controle Interno no Ambiente das Casas Legislativas e Aspectos Importantes da Lei de Responsabilidade Fiscal, o evento é promovido pela UVP - União dos Vereadores de Pernambuco.

Para o presidente da UVP, vereador Josinaldo Barbosa “o encontro com os Presidentes acontece em um momento que precisamos aperfeiçoar a gestão das Câmaras de Vereadores para atender aos anseios não apenas dos parlamentares, mas acima de tudo, dos órgãos de controle e de toda a sociedade” afirmou Josinaldo

Finalizando a agenda na quinta-feira (26), Igor Mariano (PSD) terá uma reunião no gabinete do Deputado Federal e Presidente do PSD no Estado, André de Paula. A previsão é que o encontro ocorra às 11h. Mariano pretende apresentar ao Deputado um documento que trata da história e importância do Cine Teatro São José para o Pajeú e solicitar esforços na tentativa de conseguir a tão sonhada digitalização do cinema.

Cabo da PM é investigada por fraude em documento enviado ao governo

Uma policial militar de Pernambuco está sendo investigada pela Corregedoria-Geral da Secretaria de Defesa Social (SDS) por usar assinaturas falsas em um documento enviado ao governo do estado para solicitar a recomposição salarial da categoria. A cabo foi levada ao Conselho de Disciplina após a corporação descobrir a fraude e constatar que oito assinaturas apresentadas para respaldar o pedido tinham sido feitas por uma mesma pessoa.

De acordo com a SDS, as investigações revelaram que a PM confessou ter escrito todos os nomes.

A informação sobre a investigação da policial está publicada no Boletim-Geral da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco, de quinta-feira (19). Segundo o registro, a cabo encaminhou um documento de 14 laudas com solicitação de recomposição salarial para policiais e bombeiros militares do Estado de Pernambuco. O material foi enviado ao então secretário de Defesa Social, ao secretário de Administração e ao comandante-geral da PM.

No fim do documento, relata o texto contido no boletim da SDS, constam assinatura de oito policiais militares. Eles se denominam participantes da ‘Comissão Independente de Reajuste – Somos Todos Tropa’.

O material enviado não seguiu a tramitação regulamentar, que prevê o cumprimento da cadeia hierárquica. Então, ele passou a ser alvo de investigação em inquérito militar, "que constatou que as assinaturas constantes foram feitas apenas por uma pessoa".

Mesmo sendo submetida ao Conselho de Disciplina, a cabo seguirá exercendo normalmente as funções policiais. A portaria com a previsão de investigação da PM foi enviada ao corregedor-geral da SDS, para que seja designada uma Comissão Permanente de avaliação.

Nas redes sociais, a PM investigada se declara defensora da categoria. Em uma postagem de sábado (21), a cabo conta que um oficial a avisou para que ela tomasse "cuidado com os seus textos contra o governo" e não tentasse "ser a salvadora da segurança pública". Ela rebateu dizendo: "É, sou uma das salvadoras que dão a cara à tapa para que policias como o senhor sejam valorizados! Coragem não se vende em qualquer esquina Coronel."

Comando

Diante desse caso, o comandante-geral da PM, Coronel Carlos D’Albuquerque, afirmou que a PM instaurou o procedimento de investigação e poderá punir a PM administrativamente ou penalmente. “Isso prevê até expulsão da polícia”, afirmou.

O comandante também declarou que a corporação não pode admitir posturas desse tipo. “Não podemos ter profissionais que devem servir à comunidade e que estão fraudando ou indo para a criminalidade”, disse.

Do G1 PE

Detento de 21 anos é morto em presídio em Canhotinho

Resultado de imagem para presidio de canhotinho pe

Um detento de 21 anos foi morto em tumulto no Centro de Ressocialização do Agreste (CRA), na cidade de Canhotinho, no Agreste de Pernambuco, neste último domingo. Segundo informações da Secretaria Executiva de Ressocialização, Josemar de Souza Silva foi socorrido e levado para o Hospital Dom Moura, em Garanhuns, mas não resistiu a agressão e foi a óbito. O Seres afirma que os suspeitos foram identificados e encaminhados à Delegacia Regional de Garanhuns, que tomará medidas cabíveis ao caso.

Emoção na despedida de padre Erinaldo em Iguaraci

Emoção durante despedida do padre Erinaldo em Iguaraci

Muita emoção tomou conta dos que estiveram participando da missa de despedida do padre Erinaldo Sultério, em Iguaraci. A missa aconteceu na noite deste domingo (22) na Matriz de São Sebastião, naquele município. A missa contou com a participação dos familiares do padre, das pastorais e de vários movimentos. Muitas homenagens foram apresentadas e a maioria dos presentes não contiveram as lágrimas.

Padre Erinaldo está deixando a Paróquia de São Sebastião para assumir a Paróquia de São João Batista, em Mirandiba, no dia 23 de fevereiro. Quem estará assumindo a Paróquia deixada por Pe. Erinaldo, será o padre Antônio Rogério Veríssimo. A posse do novo sacerdote está marcada para o próximo sábado (29), às 19h, na Matriz de São Sebastião em Iguaraci.

Presidente do TRF suspende decisão de impedir candidatura de Maia

Resultado de imagem para rodrigo maia congresso

O presidente do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), desembargador federal Hilton Queiroz, decidiu neste domingo, 22, suspender a decisão que impedia a candidatura à reeleição do atual presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Na semana passada, o juiz federal substituto Eduardo Ribeiro de Oliveira, da 15ª Vara Federal do Distrito Federal, determinou que Maia se abstivesse de concorrer à eleição interna da Casa, marcada para o dia 2 de fevereiro. O deputado recorreu ao TRF-1 para reverter a decisão.

Na avaliação do desembargador Hilton Queiroz, a disposição constitucional "deixa evidente que a recondução para o mesmo cargo na eleição imediatamente subsequente só é vedada aos que foram eleitos para mandato de dois anos".

Para Queiroz, este não é o caso de Maia, já que o atual presidente da Câmara "apenas cumpre mandato-tampão".

"A guerreada tutela provisória fere o princípio da separação dos poderes (artigo 2º da Constituição Federal), ao estabelecer vedação de candidatura em situação a cujo respeito a Constituição silenciou, culminando em invadir competência própria da Câmara dos Deputados para dispor quanto à eleição de sua mesa diretora", escreveu Queiroz em sua decisão.

A ação popular em questão foi ajuizada por Marcos Rivas, advogado do Amazonas e pai de Lucas Rivas, assessor parlamentar na Câmara e antigo colaborador jurídico da equipe do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Maia é alvo de dois processos no Supremo Tribunal Federal (STF) movidos por adversários: um é de autoria do Solidariedade, que faz parte do Centrão, e outro do deputado oposicionista André Figueiredo (PDT-CE), que também concorre à presidência da Câmara.