TCU bloqueia bens de Dilma, Palocci e Gabrielli por compra de Pasadena

Resultado de imagem para dilma

O plenário do Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu, nesta quarta-feira (11), bloquear os bens da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e dos ex-membros do Conselho de Administração da Petrobras, para ressarcir a estatal por prejuízo de US$ 580 milhões causado pela compra da Refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos. Além de Dilma, foram bloqueados os bens do ex-ministro Antônio Palocci; Claudio Luis da Silva Haddad; Fábio Colletti Barbosa; Gleuber Vieira; e do ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli. Cabe recurso no TCU e na Justiça e o bloqueio tem validade de um ano.

A decisão do bloqueio tem efeito imediato, mas para que ocorra efetivamente, é preciso que o órgão receba a relação de bens. O valor do bloqueio é solidário, o que significa que bens de todos ficam indisponíveis até que chegue ao valor. A área técnica da corte de contas explicou que o bloqueio vale até que o mérito do processo seja julgado – ou seja, até que o TCU condene ou absolva os citados.