Justiça decide manter inserções de Armando com críticas a segurança no governo de Paulo Câmara

A justiça eleitoral negou neste sábado (14) o pedido da Frente Popular de Pernambuco para que sejam retiradas inserções na programação de rádio e TV da Coligação Pernambuco Vai Mudar que fazem críticas a situação da segurança do Estado na gestão do governador Paulo Câmara (PSB).

Segundo decisão da desembargadora Karina Albuquerque, as inserções não configuram propaganda eleitoral irregular. “Analisando o conteúdo da inserção ora questionada, numa análise preliminar, observo que na inserção combatida, o candidato ao governo, Armando Monteiro, faz uma crítica à administração do candidato Paulo Câmara como Governador do Estado, no tocante à segurança. Não vislumbro propaganda política ofensiva, que macule a reputação e credibilidade do representante perante o eleitorado, tão pouco uma inverdade revestida de injúria, calúnia e difamação”, diz trecho da decisão.

O coordenador jurídico da campanha de Armando Monteiro (PTB), o advogado Walber Agra, comemorou a decisão. “As pernambucanas e os pernambucanos têm o direito de debater segurança pública. Em 2014 Paulo Câmara prometeu inúmeras medidas e avanços e o que vimos foi uma disparada de todos os indicadores ao longo da gestão”, diz.

Jarbas pode até ganhar, mas a dignidade ele já perdeu, disse Silvio Costa

Resultado de imagem para silvio costa em coletiva

Conhecido pelo perfil explosivo, o deputado federal e candidato a senador Sílvio Costa (Avante) não poupou nas críticas ao falar do adversário Jarbas Vasconcelos (MDB), durante sabatina realizada no Resenha Política, programa da TV JC, nessa sexta-feira (14). Sílvio usou termos de cínico à oportunista para apontar incoerência na aliança de Jarbas com o senador Humberto Costa, do PT, ambos companheiros de chapa na Frente Popular.

“Oportunista, cínico. Fazer o L de Lula? Aquilo foi cinismo, você não tem caráter. Pernambuco precisa entender que não pode votar num cara desse. Ele (Jarbas) disse que seria uma cena bonita se Lula fosse para a cadeia, dizia que no PT só tinha bandido, e agora está agarrado com o PT. Jarbas pode até ganhar, mas a dignidade ele já perdeu”, disparou Sílvio.

Para Sílvio Costa, a coligação de Paulo Câmara é 'a mais incoerente' da história de Pernambuco. "O PSB foi responsável pelo impeachment de Dilma Rousseff, eles articularam para tirar a Marília Arraes e é uma aliança esdruxula. Uma foto de Jarbas, Humberto e Paulo é uma foto que desrespeita o povo pernambucano, a coerência e a lealdade", apontou.

Sobre Armando Monteiro, Sílvio disse ter uma boa relação com o petebista, mas disse que ele 'tomou uma decisão errada' ao se coligar com PSDB e DEM. "Tenho relação com Armando de 25 anos, se ele for governador, tenho certeza de que será um ótimo governador. Ele lutou e votou contra o impeachment e tem relação pessoal com Lula e Dilma", afirmou.

Para alfinetar, ainda mais, o companheiro de Câmara Federal, Costa relembrou a delação de João Antônio Pacífico e Benedicto Júnior. Eles afirmaram ter feito repasses, via caixa dois de R$ 700 mil para a campanha de Jarbas, em 2010. Em agosto de 2017, o ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, declarou extinção da punibilidade, pois Jarbas tem mais de 70 anos. Na época, Vasconcelos disse que preferia que o seu caso fosse apurado e negou ter recebido o recurso.

Por fim, um afago. Sílvio mandou um recado a Jarbas dizendo que não é “nada de pessoal, tudo na política”. O JC procurou o deputado federal e candidato ao Senado Jarbas Vasconcelos, mas ele preferiu não comentar as declarações do adversário.

LULA

Sobre o cenário nacional, sem a candidatura de Lula, que foi considerado inelegível pelo TSE, Sílvio Costa declarou voto em Fernando Haddad para presidente."Sou admirador de Lula, das políticas de inclusão social promovidas por Lula e Dilma, acho que ele é um grande eleitor pois colocou menos favorecidos no orçamento, colocou filho de pobre, aumentou o poder de compra no País. Não sou petista, sou Lulista. Humberto Costa pode colocar que é senador de Lula e é por ser do PT, mas não há quem me tire esse carimbo de lulista. Sou amigo pessoal e admirador de Fernando Haddad", disse.

Do JC Online

Operação apreende 12 toneladas de maconha na região do São Francisco

Operação contou com a ação das Polícias Federal, Militar e Civil dos dois estados / Foto: Divulgação/Apoc

Cerca de 12 toneladas de maconha foram apreendidas dentro da ‘Operação Macambira 3’, concluída nessa sexta-feira (14) nas margens do Rio São Francisco entre os estados de Pernambuco e da Bahia. Na região, foram encontrados mais de 30 mil pés da droga em localidades rurais.

Além disso, 615 quilos dos entorpecentes já colhidos também foram localizados, junto com mil mudas, meio quilo em sementes da droga, 6,2 mil covas e outros materiais.

De acordo com a Polícia Científica do Vale do São Francisco, uma parte da maconha foi guardada para perícia e o resto da droga foi incinerada no local.

A operação

A ‘Macambira 3’ foi deflagrada no dia 6 de setembro com o objetivo de erradicar o planejo de drogas às margens do Rio São Francisco, em Pernambuco e em cidades da Bahia, como Juazeiro, Xique Xique, Campo Formoso, Curaçá e João Dourado.

Participaram da operação as Polícias Federal, Militar e Civil, Corpo de Bombeiros, Forças Armadas, e peritos do Instituto de Criminalística dos dois estados. A ação também contou com o apoio Companhia de Polícia de Ações na Caatinga, da Coordenação de Aviação Operacional e da Polícia Militar do Distrito Federal.

Disputa Ciro-Haddad nas eleições 2018 se acirra no Nordeste

Resultado de imagem para ciro e haddad

A Região Nordeste, onde vive um em cada quatro eleitores brasileiros, é, neste momento, o principal palco da disputa entre Fernando Haddad (PT) e Ciro Gomes (PDT) pelo espólio lulista e por uma vaga no segundo turno da disputa presidencial nas eleições 2018. A batalha entre o petista e o pedetista se acirrou nas mais recentes pesquisas, lideradas por Jair Bolsonaro (PSL).

Nos Estados nordestinos, o confronto Ciro-Haddad alcança seu nível mais elevado na comparação com outras regiões. Enquanto o candidato do PT conta com a transferência de votos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva - preso e condenado na Lava Jato -, a campanha de Ciro acredita que poderá frear essa transmissão.

O principal trunfo de Ciro é o forte apoio de que desfruta no Ceará, Estado que já governou e cuja máquina é controlada por seu irmão, Cid Gomes, candidato ao Senado pelo PDT. Apesar de ser petista, o atual governador, Camilo Santana, é afilhado político dos irmãos Gomes e apoia Ciro.

O crescimento de Ciro vinha sendo impulsionado principalmente pelo desempenho no Nordeste. Mas, desde que foi oficializado como candidato do PT à Presidência, no início desta semana, Haddad alcançou índices que o deixam em empate técnico no segundo lugar com adversários.

Conforme o Ibope mais recente, divulgado nesta terça-feira, 11, 38% dos nordestinos afirmaram que votariam "com certeza" em Haddad ao ser informados de que ele tem o apoio do ex-presidente. Naquele momento, o petista tinha 13% das preferências no Nordeste, ante 18% de Ciro.

Já a pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira, 14, mostrou que Haddad cresceu de 11% para 20% no Nordeste e Ciro oscilou para baixo, de 20% para 18%.

A campanha de Ciro estabeleceu como estratégia nos Estados nordestinos poupar Lula, apresentar Haddad como o candidato paulista da presidente cassada Dilma Rousseff e atacar o PT. Com a ausência de Lula, analistas avaliam que o potencial de crescimento de Ciro no Nordeste seria hoje maior do que em outras eleições. Mesmo que não exista garantia de que conseguirá a maioria dos votos na região, o pedetista teria a seu favor o fato de ser mais conhecido pelos eleitores nordestinos.

Interesses locais. A disputa colocou em campos opostos políticos das duas siglas que estão alinhados nas disputas estaduais. No Nordeste, PDT e PT estão juntos em Alagoas (onde estão na chapa de Renan Filho, do MDB), Ceará, (com Camilo Santana, do PT), Bahia (com Rui Costa, do PT), Maranhão, (com Flávio Dino, do PCdoB) e Paraíba (com Ricardo Coutinho, do PSB). Os arranjos locais, porém, representam obstáculos nas táticas de disputa entre Haddad e Ciro por votos nordestinos.

Na Bahia, um dos poucos Estados nordestinos onde Ciro ainda não visitou durante a campanha eleitoral deste ano, o PDT, partido dele, está na base do governador Rui Costa (PT), que tenta a reeleição. Nesse caso, Haddad é quem leva vantagem sobre Ciro, porque o governador está afinado com a estratégia nacional do PT.

Os pedetistas ocupam duas secretarias na administração estadual: Agricultura, Pecuária, Irrigação, Pesca e Aquicultura e Administração Penitenciária e Ressocialização. Nos materiais de campanha e na propaganda eleitoral no rádio e na TV, candidatos a deputado estadual e deputado federal do PDT baiano têm exibido a imagem de Ciro.

"Uma coisa é o Lula, outra completamente diferente é o Haddad. Não são a mesma pessoa", disse Félix Mendonça Jr., presidente do PDT baiano.

Em Pernambuco, Maurício Rands, candidato ao governo pelo PROS - partido da base de Haddad -, declarou apoio a Ciro. O PDT está em sua aliança.

Como principal cabo eleitoral do presidenciável no Estado, Rands tem direcionado seus discursos para o eleitorado petista com o objetivo de impedir a transferência de votos lulistas para o ex-prefeito de São Paulo. "Os valores de justiça social não são monopólio do Lula ou do seu partido. Nós e o Ciro também representamos esses valores", disse Rands.

O Nordeste possui pouco mais de 39 milhões de eleitores, o que representa 26,6% do total no País.

“A Globo condena por antecipação”, diz Haddad a Bonner

O candidato do PT fechou a série de entrevistas com os presidenciáveis melhor posicionados nas pesquisas

"Boa noite, presidente Lula”, disse Fernando Haddad ao responder o cumprimento de William Bonner e Renata Vasconcellos no início da edição de sexta-feira (14) do Jornal Nacional.

De terno preto e gravata vermelha, o ex-prefeito de São Paulo manteve o característico tom professoral, mas se irritou com recorrentes interrupções e contra-argumentações dos âncoras.

Haddad demonstrou incômodo algumas vezes: “Deixa eu complementar minha resposta”; “Deixa eu te responder”; “Calma, você fez uma longa pergunta, quero fazer uma resposta à altura”; “Você me fez uma pergunta e não tá deixando eu responder”; “Dá licença, Bonner”; “É contraditório o que você está dizendo”.

O apresentador e editor-chefe do JN também se importunou. “Vamos colocar as coisas nos seus devidos lugares”, decretou durante uma contestação.

Em várias ocasiões foi possível ouvir, ainda que incompreensível ao telespectador, a comunicação do switcher, a sala de controle de onde os programas de TV são colocados no ar, com o ponto eletrônico que os âncoras usam no ouvido. Editores costumam ‘soprar’ informações e sugerir perguntas.

Ao corrigir Bonner a respeito de uma afirmação sobre a ex-presidente Dilma, dizendo que ela não é ré em nenhum inquérito, e sim investigada, Fernando Haddad fez uma comparação: “A Rede Globo (também) é investigada”. “Não é essa a questão”, retrucou William.

O petista avançou na estratégia de colocar a Globo contra a Globo. “Você não pode, em função de um indício, condenar. Eu penso, Bonner, que a Rede Globo muitas vezes condena por antecipação”, afirmou o petista. “Não é fato, candidato”, replicou o apresentador, exibindo careta de reprovação. “Como jornalista, o que eu faço é jornalismo. Eu faço perguntas...”

A resposta não convenceu (nem conteve) o “ungido por Lula”, nas palavras de Renata Vasconcellos: “Vocês não tratariam os problemas da Rede Globo como tratam os problemas do PT”. Bonner imediatamente reagiu. “Os problemas da República dizem respeito a uma nação de brasileiros, a milhões e milhões de eleitores.”

O ex-prefeito insistiu no ataque ao canal da família Marinho. “Mas a Rede Globo diz respeito (aos brasileiros), é uma concessão pública.” E foi além: “Nós tivemos problema na Receita Federal com a Rede Globo, e eu não estou antecipando juízo sobre a Rede Globo”.

Empresas serão obrigadas a contratar presos e ex-detentos

Resultado de imagem para presos e egressos

A portaria que obriga empresas contratadas pelo governo federal a empregar presos ou egressos do sistema prisional foi publicada no Diário Oficial da União de hoje (14). A medida vale para empresas vencedoras de licitações cujos contratos com o governo superem R$ 330 mil. A portaria é assinada pelos ministros da Segurança Pública, Raul Jungmann, e dos Direitos Humanos, Gustavo Rocha.  

Além de dispor sobre o procedimento de contratação de mão de obra de presos ou egressos do sistema prisional, a portaria aborda detalhes relativos à forma como o cumprimento dessas regras será fiscalizado.

Quando a execução do contrato demandar 200 ou mais funcionários, o percentual de egressos ou presos contratados deverá ser de 3%. De 201 a 500, o percentual sobe para 4%; quando for entre 501 e 1 mil funcionários será de 5%; e quando for acima de 1 mil empregados, de 6%. A obediência a esses percentuais será exigida da proponente vencedora na assinatura do contrato. Caberá à empresa apresentar mensalmente – ao juízo de execução, com cópia para o fiscal do contrato ou para o responsável indicado pela contratante – a relação nominal dos empregados, ou outro documento que comprove o cumprimento dos limites percentuais previstos.

Banco do Nordeste publica edital de abertura de concurso público

Resultado de imagem para banco do nordeste

O Banco do Nordeste do Brasil (BNB) divulgou o edital de abertura do novo concurso público para os cargos de Especialista Técnico 1 – Qualificador: Analista de Sistema e Analista Bancário 1.

O Banco oferece quatro vagas para o cargo, além de 196 cadastros de reserva. A lotação do cargo é em Fortaleza (CE). Para concorrer, o candidato deve possuir diploma em nível superior em alguma das áreas informadas no edital de abertura da seleção ou diploma de nível superior em qualquer área de formação, acrescido de pós-graduação na área de Informática e (ou) Segurança da Informação. A remuneração inicial atual é de R$ 4.941,17, com jornada de trabalho de 30 horas semanais.

Para o cargo de nível médio, a seleção também oferece quatro vagas, além de formação de cadastro de reserva para 496 classificados. São diversas as cidades de lotação, distribuídas entre os estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Espirito Santo, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe. Para concorrer, o candidato deverá apresentar certificado de conclusão de curso de ensino médio. A remuneração é de R$ 2.854,68, com jornada de trabalho de 30 horas semanais.

As inscrições poderão ser feitas por meio do link www.cespe.unb.br/concursos/banco_do_nordeste_18 a partir de 24 de setembro, e o prazo vai até 15 de outubro. A taxa de inscrição é de R$ 67,00 para nível superior e R$ 59,00 para nível médio.

A seleção será realizada por meio de provas objetivas para ambos os cargos e prova discursiva somente para Especialista Técnico. As avaliações estão previstas para 25 de novembro. As 35 cidades onde ocorrerão as etapas do concurso público estão listadas no edital de abertura do certame.

Paulo Câmara mantém promessa de 2014 e diz que vai implementar bilhete único, se reeleito

Resultado de imagem para paulo camara em sabatina

Governador de Pernambuco e candidato à reeleição, Paulo Câmara participou de sabatina promovida pelo G1, portal da Rede Globo de Comunicação, no começo da tarde desta sexta-feira (14). O postulante do PSB falou sobre como a crise atrasou projetos que foram prometidos em sua última campanha, insistiu na implementação do bilhete único, garantiu que o 13º salário para os beneficiários do Bolsa Família não prejudicará a economia do Estado e afirmou que seu partido se arrependeu do impeachment.    

Durante a entrevista, Paulo Câmara citou diversas vezes como a crise atrasou a implementação, ou ampliação, das ações prometidas ainda em 2014, quando disputou pela primeira vez a governança do Estado. No quesito segurança pública, o Programa Atitude foi um dos que não cumpriram a meta estabelecida. Câmara havia prometido triplicar o projeto, que abriga e ajuda na ressocialização de dependentes químicos, mas isso não aconteceu. "Não deu pra fazer tudo, a crise foi muito séria", explicou o candidato. "Estamos fazendo mais com menos. Nós passamos de 2 mil atendimento para 3 mil", completou. O governador ainda disse investir em políticas de prevenção e que "com educação e cuidado com as pessoas iremos enfrentar o problema do crack".

Sobre o bilhete único, proposta que também foi divulgada antes de seu primeiro mandato e não foi posta em prática pelo político, Paulo respondeu que "promoveu tarifa única cobrando o anel mais barato" e que nesse campo conseguiu avançar. "Hoje 85% dos pernambucanos paga as passagem mais barata (R$ 3,20), a segunda menor do Brasil", afirmou. "Não deu para cumprir os 100% mas essa é a nossa meta para os próximos 4 anos", prometeu o candidato.

Ministério Público garante fornecimento de medicação para tratamento de câncer de próstata em Carnaíba

Resultado de imagem para mppeO Ministério Público de Pernambuco (MPPE), por meio da Promotoria de Justiça da cidade de Carnaíba, entrou com ação civil pública a fim de garantir o fornecimento do medicamento Acerato de Gosserrelina à paciente portador de câncer de próstata. A ação teve o objetivo de providenciar o amparo ao paciente para garantir a integral e efetiva assistência à saúde.

"O direito à saúde configura desdobramento do direito próprio à vida, encontrando no bojo na Carta Maior a sua completa e indispensável tutela", disse o promotor de Justiça de Carnaíba, Ariano Tércio Silva de Aguiar, autor da ação. Assim, o MPPE requereu a solicitação de concessão de medida liminar para fornecer a medicação necessária e em quantidade suficiente para a continuidade do tratamento do paciente.

A decisão, proferida pelo juiz Pablo de Oliveira Santos, da vara única da Comarca de Carnaíba, postulou a urgência na regularização do fornecimento da medicação sob pena de multa diária. "O Estado não pode interferir, determinando qual o medicamento deve fornecer, pois o que se objetiva é garantir maior eficácia no tratamento do paciente", disse o juiz em sua decisão. O magistrado solicitou, ainda, que a regularização no fornecimento seja feita em até dez dias.

Homem é preso tentando repassar R$ 1.990 em notas falsas no Sertão

O suspeito foi autuado em flagrante com R$ 1990 em notas falsas

Um homem foi preso, na noite dessa quinta-feira (13), transportando cédulas falsas no município de Petrolândia. Ele estava com R$ 1.990 em notas falsas dentro de uma sacola.

Segundo a Polícia Militar, Alexsandro da Cruz Anchieta, de 22 anos, estaria repassando o dinheiro falsificado no comércio do Centro da cidade. Após rondas da 4ª Companhia Independente, o suspeito foi localizado na Rua Cecília Delgado.

Um comerciante contou que quase caiu no golpe, pois o suspeito tentou lhe repassar uma nota falsa de R$ 20. Além desta, o homem estava com várias notas de R$ 5, R$ 10 e R$ 20, totalizando R$1.990. Alexsandro foi encaminhado à Delegacia de Petrolândia, onde foi autuado em flagrante por falsificação de moeda e vai passar por audiência de custódia nesta sexta-feira (14).

Como anular o voto?’ é pergunta mais feita ao Google sobre eleições; por quê?

Resultado de imagem para anular o voto

Essas são as perguntas mais feitas no Google quando o assunto é eleições 2018. Mas quais os motivos que levam um eleitor a querer não participar de um processo democrático que tem o poder de decidir quem irá governar o País nos próximos quatro anos? Para a cientista política Priscila Lapa, diversos são os fatores, entre eles a falta de identificação do eleitorado com os candidatos e o momento de crise política que o País passa hoje. O cientista político Elton Gomes prevê ainda que o número de votos brancos e nulos deve aumentar este ano.

“Outra característica é o acirramento dessa decepção do eleitor com a política, esse distanciamento político, a sociedade rejeitando a política em busca de opções que não representem a política, que sejam outsiders“, aponta Priscila Lapa. “Isso significa alguma coisa para o sistema político, diz que as opções não estão sendo suficientes para representar os interesses do eleitor”.