Garanhuns: Surto de doenças leva MPPE a recomendar investigação do abastecimento de água no município

A existência de surto de doenças transmitidas pela água que acometeu o município de Garanhuns levou o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) a expedir recomendações à Prefeitura, à Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), à V Gerência Regional de Saúde (Geres) e à Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa) para que tomem providências visando investigar e sanar o problema de saúde gerado pelo abastecimento de água.

Até agora são 71 pessoas doentes no município, de acordo com o Informe Epidemiológico de Surtos de Doenças Transmitidas por Água/Alimentos. A investigação laboratorial na água para consumo humano acusou a presença de Escherichia coli, grupo de bactérias que pode causar infecção intestinal, o que implica na ausência de potabilidade da água.

Assim, se faz necessário realizar investigação de campo, identificando a magnitude do surto, as formas de abastecimento da água, existência ou não de tratamento, tipos e condições de higiene no armazenamento da água ou dos reservatórios.

Assim, cabe à Secretaria Municipal de Saúde adotar imediatamente medidas cautelares, tal como interdição do sistema de abastecimento do qual proveniente o surto, a fim de afastar o risco de contaminação da água e a ocorrência de novos casos de doenças de veiculação hídrica.

“É preciso ainda coletar novas amostras, nos locais onde ocorreram o surto, para identificar a origem e responsabilidade pela contaminação. Hospitais, escolas, creches, postos de saúde, Unidades de Saúde da Família devem ser orientados a realizar uma imediata limpeza e desinfecção dos reservatórios, cisternas e caixas d'água, após as novas coletas”, advertiu o promotor de Justiça Domingos Sávio Agra.

A Compesa deve informar os responsáveis por poços, chafarizes e carros-pipa sobre o surto, bem como, em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde, realizar a análise microbiológica completa para identificar os micro-organismos responsáveis pelo surto.

A Geres precisa encaminhar aos responsáveis pelo abastecimento de água quaisquer informações referentes à investigação do surto relacionado à qualidade da água, além de executar ações de vigilância da qualidade da água para consumo humano.

A Apevisa terá que fazer um monitoramento sistemático da qualidade da água em escolas, hospitais, creches, asilos, encaminhando ao MPPE um relatório mensal.

Pesquisa no Blog

Rádio Web Acauã HD Full

Nosso Aplicativo

EM  TESTE...
Baixe Nosso aplicativo em:

 

 
BAIXAR

 

        

 

Link´s Para Rádio Web

     

Publicidade

 

 

 

 

Provedor de Internet em
Afogados da Ingazeira - PE