Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa promove seminário para discutir experiências e saberes da Caatinga

Um extrato feito a partir dos frutos de pau-ferro, angico de bezerro e angico branco – espécies encontradas no Semiárido nordestino – se mostrou eficiente no combate a uma bactéria frequentemente associada a infecções hospitalares. O estudo, publicado em um periódico científico internacional, foi um dos exemplos apresentados, nesta quarta (13), no Seminário Experiências Exitosas no Bioma Caatinga, promovido pela Comissão de Meio Ambiente da Assembleia.

Na apresentação sobre as plantas medicinais, a professora de Bioquímica da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) Márcia Vanusa da Silva expôs iniciativas de trocas de saberes em que o conhecimento de comunidades tradicionais é resgatado e validado por pesquisas. A partir daí, a produção é estimulada de forma a gerar renda para essas populações. “O óleo de babaçu tem o mesmo efeito de um anti-inflamatório comercializado internacionalmente”, exemplifica a pesquisadora, que percebeu, ainda, que as mulheres são figuras centrais como detentoras desse saber.

O superintendente-técnico da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Sérgio de Azevêdo Mendonça, por sua vez, relatou a implantação dos módulos de manejo sustentável da agrobiodiversidade no entorno das unidades de conservação da Caatinga. O projeto inclui a capacitação de professores e produtores rurais, perfuração de poços, criação de unidades de beneficiamento de mel e frutas, entre outras iniciativas. “Em Serra Talhada, tivemos a grata surpresa da formação de uma feira agroecológica como fruto desse trabalho”, menciona.

Durante a audiência, a representante da Associação Águas do Nordeste (ANE) Edneida Cavalcanti abordou o Projeto Águas de Areias, para recuperação e gestão compartilhada das águas de aluvião em leito seco de rios no Semiárido pernambucano. Houve ainda a exibição do curta-metragem O Sertão Vai Virar Mar, da fotógrafa Patrícia Patriota. Diretora de Recursos Florestais e Biodiversidade da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), Patricia Ferreira Tavares falou das ações do projeto Papagaio da Caatinga para reabilitação, soltura e monitoramento de aves apreendidas.

Presidente da Comissão de Meio Ambiente, o deputado Zé Maurício (PP) enfatizou que a atividade faz parte da celebração do Junho Verde, data comemorativa que foi estabelecida por lei de sua autoria em 2017. “A Caatinga é o único bioma exclusivamente brasileiro, dotado de uma biodiversidade única, porém muito frágil: 45% de sua vegetação já foi devastada, e 60% de sua área está sujeita à desertificação. Por isso, propusemos compartilhar com a sociedade e esta Casa os exemplos que serão apresentados na 2ª Conferência Regional da Caatinga, a ser realizada entre os dias 19 e 21 de junho em Fortaleza (CE)”, acrescentou.

Pesquisa no Blog

Rádio Web Acauã HD Full

Nosso Aplicativo

EM  TESTE...
Baixe Nosso aplicativo em:

 

 
BAIXAR

 

        

 

Link´s Para Rádio Web

     

Publicidade

 

 

 

 

Provedor de Internet em
Afogados da Ingazeira - PE